Coerente, mas errado. Flamengo só não enfrentará o Palmeiras com WO

As pessoas que comandam o Flamengo vestem a camisa do individualismo sem nenhuma vergonha. O presidente do clube, Rodolf..

Vinicius Cordeiro - 25 de setembro de 2020, 20:15

(Divulgação/Flamengo)
(Divulgação/Flamengo)

As pessoas que comandam o Flamengo vestem a camisa do individualismo sem nenhuma vergonha. O presidente do clube, Rodolfo Landim, e seus pares não honram a história e a popularidade do clube.

Nesta sexta-feira, o STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) indeferiu o pedido de adiamento do jogo contra o Palmeiras, marcado para esse domingo (27), em São Paulo. Antes a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) já tinha se posicionado a favor da realização da partida. No cenário atual, parece que só um WO impedirá o confronto de acontecer.

Os problemas causados pelo surto de coronavírus no Flamengo seriam resolvidos de forma simples em um país com bom senso. Ou seja, não no Brasil. É claro que deveríamos ter o adiamento da partida em prol da saúde dos atletas. Entretanto, o mesmo teria acontecido com Goiás e também na Série B, com o Confiança.

O Goiás teve 12 desfalques por covid-19 contra Athletico-PR e Palmeiras na segunda e terceira rodada do Brasileirão, respectivamente. Nem a CBF ou qualquer tribunal se movimentaram na época. Manter o duelo entre Palmeiras e Flamengo é coerente com os dois casos anteriores, mas é errado porque a saúde não é priorizada (alguém ainda se surpreende?).

O mais prejudicado nessa história toda foi o Barcelona de Guyaquil, que encarou o Fla pela Libertadores na última terça. O clube, contra a própria vontade, tem 16 jogadores que cumprem o isolamento após terem sido expostos ao vírus já que estiveram em inúmeras disputas com Rodrigo Caio, Léo Pereira, Renê, Ramon e Everton Ribeiro, diagnosticados com covid um dia após o jogo.

No entanto, a notícia mais emblemática do dia é a demissão do funcionário que tirou a foto dos jogadores sem máscara no avião após a vitória na Libertadores. Detalhe: Landim disse mais cedo, em entrevista ao SporTV: "Na hora da foto eu também tiro a máscara, prendo a respiração e coloco de novo. Vamos relevar isso aí".

Sobre esse caso, nenhum comentário é melhor que a da colega Rita Lisauskas.

https://twitter.com/RitaLisauskas/status/1309617983841599490