Passagem de Jorginho foi uma perda de tempo para o Coritiba

Vinicius Cordeiro


A escolha por Jorginho na quinta rodada do Brasileirão foi mais um erro da atual diretoria do Coritiba. A passagem não foi boa nem para o treinador e nem para o clube. Ele foi demitido hoje (25), com 33% de aproveitamento após 13 partidas. Foram três vitórias, quatro empates e seis derrotas.

Na entrevista coletiva de apresentação (relembre aqui), Jorginho fez questão de ressaltar que não era retranqueiro. Não conseguiu provar isso e nem justificar a confiança depositada pelos dirigentes.

O resultado que mais ilustra o trabalho de Jorginho foi a igualdade, por 1 a 1, com o São Paulo. Naquela partida, válida pela 13ª rodada, o Coxa abriu o placar com Robson, em cobrança de falta, antes dos 10 minutos. Depois de estar com a vantagem, o time abdicou da bola e teve uma atuação covarde.

O único triunfo convincente foi o sobre Palmeiras, que ainda estava sob comando do já demitido Vanderlei Luxemburgo. Naquele jogo, Jorginho entrou com jogadores menos marcadores no meio campo. O time fez seu melhor jogo e mostrou que teria potencial para não ser rebaixado. Mesmo com aquela amostra, o técnico voltar a se esbaldar sobre a marcação e deixou de agredir os rivais.

A estratégia não deu certo e o Coxa foi derrotado pelo Santos (que não tinha Marinho em campo) e Ceará, de virada. Já a goleada sofrida por 4 a 0 contra o Fluminense, antes dessa série ruim, é melhor esquecer.

O problema principal, contudo, foi que Jorginho não teve a capacidade extrair  o máximo do elenco. Sarrafiore e Neílton, dupla trazida pela diretoria para reforçar o time titular, foi descartada e cansou de esquentar o banco de reservas. No meio campo, Matheus Bueno e Matheus Galdezani foram preteridos mesmo com atuações convincentes quando usados.

QUEM SERÁ O PRÓXIMO TREINADOR DO CORITIBA?

O Coritiba precisa acertar o próximo treinador. Vejo o nome de Tiago Nunes, especulado por parte da torcida, quase impossível. Não só pela história no Athletico, mas pela limitação do orçamento alviverde. Nesse contexto financeiro, Ney Franco e Argel Fucks são escolhas mais adequadas.

A diretoria precisa agir rápido e definir um nome o quanto antes já que o Coritiba encerra o primeito turno da Série A contra o Atlético-GO. O jogo acontece no próximo sábado (31), às 19h, no Couto Pereira. A vitória é essencial (obviamente), mas é preciso dar dois ou três dias de trabalho para o novo técnico.

Previous ArticleNext Article