Não dá para cobrar qualidade no futebol do Campeonato Paranaense

Vinicius Cordeiro


Existe garra e determinação dos atletas. O problema é que o tumulto na realização do Campeonato Paranaense gera enormes prejuízos aos times.

A vitória do FC Cascavel sobre o Athletico por 2 a 1 neste domingo comprovou isso. Teve emoção só pelo gol da virada no fim. De resto, poucas chances e finalizações em mais um jogo morno, o que vem sento a toada do Estadual.

Ontem, a derrota do Coritiba para o Operário também refletiu a péssima preparação das equipes. Por mais que o Coxa estivesse com uma equipe alternativa, torna-se claro que falta preparação adequada.

De maneira geral, os gols saem em falhas individuais (algumas grotescas), muito por conta da falta de ritmo. Não se pode crucificar ninguém.

Não há como ter uma competição de alto nível com esse calendário maluco de partidas. Para se ter noção, apenas a primeira rodada do Campeonato Paranaense foi concluída, sendo que não chegamos à sexta rodada. Conforme o calendário inicial da Federação, deveríamos ter encerrado a 8ª rodada do torneio hoje. 

O agravamento da pandemia de coronavírus impactou muito no rendimento. Não dá para se cobrar futebol ou fazer análises detalhadas do jogo praticado pelas equipes.

Diante desse cenário, a obviedade: o time menos prejudicado lidera o Estadual. O FC Cascavel é o único clube que realizou cinco jogos até aqui. Destes, três deles foram realizados no Estádio Olímpico Regional, em Cascavel. Ou seja, teve melhores condições comparado aos rivais.

Não é desmerecimento algum ao trabalho do técnico Tcheco. Só escancara o que é óbvio: teremos desempenhos melhores com constância de treinos e jogos.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="755562" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]