Neymar brilha e ainda está abaixo de Ronaldo. Tite insiste em Coutinho

Vinicius Cordeiro

neymar ronaldo seleção

A vitória do Brasil sobre o Peru por 4 a 2 nesta terça-feira (13) ficou marcado pela ultrapassagem de Neymar sobre Ronaldo. Com o hat-trick, o atual camisa 10 chegou a 64 gols pela seleção, dois tentos a mais que o Fenômeno.

É bom pontuar que o craque do PSG disputa mais jogos (e contra adversários mais fracos). O contexto da seleção brasileira atual mudou muito comparado há 20 anos.

Mas isso não é o ponto principal. Quando se fala em seleção, o que vale mesmo é Copa do Mundo. E é justamente a maior competição da modalidade que coloca Ronaldo em um patamar acima.

Neymar conquistou Libertadores e Liga dos Campeões (troféus que Ronaldo nunca conquistou) e é melhor tecnicamente.

Só que o ex-atacante foi campeão mundial em 1994 (no banco de reservas) e 2002, quando foi o artilheiro com oito gols. Ainda tem a marca de ser o maior artilheiro do Brasil em Copas, com 15 bolas na rede. De quebra, o Fenômeno conquistou o prêmio de melhor jogador do mundo em três anos: 1996, 1997 e 2002. Neymar ainda busca a primeira.

No hall dos maiores da amarelinha, Neymar precisa de mais para superar Ronaldo. Não é fazendo gols em jogos das Eliminatórias que isso vai acontecer. E também não é demérito ficar abaixo do Fenômeno. Isso mostra a enormidade da história que o ex-atacante construiu.

Ficam dois pontos:

1 – Será que quando Neymar chegar a 78 gols com a amarelinha, vão falar que ele é maior do que foi o Pelé?

2 – Nas últimas Copas, as seleções campeãs são marcadas pelo coletivo forte – e não necessariamente por contar com craques extraordinários. Messi e Cristiano não venceram nenhuma Copa. França e Alemanha não tinham um único craque. O futebol mudou muito.

A INSISTÊNCIA COM COUTINHO E A BOA RESPOSTA DE DOUGLAS LUIZ

Tite gosta muito e tem gratidão a Philippe Coutinho, mas o meia-atacante está longe do auge. Ele foi bem contra a Bolívia e causou boa impressão no retorno ao Barcelona após ter sido campeão europeu (como reserva de luxo) no Bayern de Munique. Mas o apreço da atual comissão técnica precisa resultar na titularidade com Coutinho? Ele pode muito bem ter a vaga cativa nas convocações e ser opção no decorrer dos jogos.

Neymar tem vaga garantida. Everton Cebolinha e Richarlison pedem passagem. O ex-Grêmio tem ótimas participações desde a Copa América e, treinado por Jorge Jesus, deve evoluir sob o comando de Jorge Jesus. Já o Pombo, que já era muito bom na Premier League, tornou-se ainda melhor com Carlo Ancelotti no Everton.

Outra posição em aberto é a do segundo homem do meio campo, que precisa dar suporte a Casemiro na defesa e ter muita qualidade na saída de bola. Douglas Luiz ganhou a disputa com Bruno Guimarães nos treinamentos e foi bem nas duas primeiras rodadas das Eliminatórias. No entanto, Bruno também é um atleta espetacular, capaz de dar equilíbrio e ritmo ao time. Os dois não precisam necessariamente substituir um ao outro. É mais uma alternativa se Coutinho fosse sacado do time titular.

Por enquanto vejo que existem cinco certezas na seleção ideal de Tite: Alisson (ausente por lesão), Marquinhos, Renan Lodi, Casemiro e Neymar.

coutinho seleção brasileira brasil peru
Coutinho voltou a ter atuação apagada pela seleção brasileira. (Lucas Figueiredo/CBF)

Previous ArticleNext Article