Coluna Social
Compartilhar

RB Economia

Vendas para o Dia dos Pais tiveram queda nominal de 1,6%.Roupas, perfumes e calçados foram os presentes preferido..

Ruy Barrozo - 31 de agosto de 2016, 10:08

Vendas para o Dia dos Pais tiveram queda nominal de 1,6%.

ANÚNCIO

Roupas, perfumes e calçados foram os presentes preferidos por 57%, 10% e 8% de consumidores curitibanos, respectivamente, na hora de comprar as lembranças para o último Dia dos Pais.

A informação consta da pesquisa ACP/Datacenso que entrevistou 200 comerciantes e 200 consumidores entre os dias 15 e 17 desse mês, apurando que as vendas registraram crescimento nominal de 1,6% menor que o desempenho do comércio em período igual do ano passado.

A queda real (corrigida pela inflação de 8,73% acumulada nos últimos 12 meses) chegou a 6,7%.

ANÚNCIO

Em 2015 a queda nominal das vendas motivadas pelo Dia dos Pais havia sido de 9% em comparação ao ano anterior, com queda real de 17%, indicando a gravidade que a crise econômica atingiu na época.

A média de idade do consumidor varia de 18 anos a 45 anos, sendo que a renda familiar mensal oscila entre R$ 4.400 a R$ 8.400.

As opções de pagamento mais utilizadas foram o parcelamento no cartão de crédito (36%), à vista no cartão (22%), débito no cartão (20%) e 18% com dinheiro.

O valor médio gasto pelo consumidor na compra do presente desse ano foi de R$ 116, um pouco maior do que os R$ 109 gastos em 2015.

A maioria dos comerciantes entrevistados pelo Instituto Datacenso (58%) constatou leve reaquecimento do mercado, mas se valeu da realização de promoções especiais, descontos para compras à vista e sorteio de brindes com a finalidade de estimular as compras.

Vendas para o dia dos pais recuam 5,2% em 2016, segundo Boa Vista SCPC

Em 2015 queda foi de 0,8%

Dados da Boa Vista SCPC - Serviço Central de Proteção ao Crédito divulgados pela ACP mostram que em 2016 as vendas do comércio para o dia dos pais recuaram 5,2% quando comparadas a 2015.

Em 2016 o recuo das vendas nesta data foi ainda mais intenso do que o observado em 2015, quando as vendas no comércio diminuíram 0,8% em relação ao mesmo período de 2014.

Os resultados obtidos nas estimativas da FECOMERCIO/SP mostram que o dia dos pais teve desempenho em linha com as outras datas e não traz grande alento ao varejo.

As esperanças de que a data fosse indicar algum grau de recuperação (ou de resultados menos ruins) não se confirmou, apesar da melhoria da confiança do consumidor e do empresário.

As vendas caíram o equivalente a R$ 4,3 bilhões, ou quase 11% em relação ao mesmo período no ano passado.

As dificuldades que ainda permeiam o cenário macroeconômico, tais como juros elevados, mercado de trabalho em deterioração e inflação alta, continuam impactando negativamente as vendas em datas comemorativas. Caso o cenário mais benigno apontado pelas projeções de mercado se consolidem, possivelmente poderemos visualizar nas próximas datas comemorativas uma inflexão de tendência.

Metodologia

O cálculo do volume de vendas para esta data é baseado em uma amostra das consultas realizadas no banco de dados da Boa Vista SCPC, com abrangência nacional.

Para este dia dos pais foram consideradas as consultas realizadas no período de 7 a 14 de agosto de 2016, comparadas às consultas realizadas entre 2 e 9 de agosto de 2015.ruy.barrozo