Os 12 Trabalhos do Dependente Químico…e de Hércules

Piti Hauer

“De todos os infortúnios que afligem a humanidade, o mais amargo é que temos de ter consciência de muito e controle de nada”
Heródoto
 
Sarampo, catapora, varíola, diabetes, câncer, depressão, caxumba, todos sabem que são doenças, já associam o vocábulo a alguma enfermidade, ou aos seus sintomas, causas, consequências e como tratar. Entretanto, há uma doença, considerada pela OMS, que, para muitos  é só vagabundagem e ociosidade, para outros um modismo da adolescência, alguns a veem como uma possessão de coisa-ruim, e um seleto e néscio grupo a considera coisa de bandido, criminoso e facínora que deve ser punido porque comete um crime contra sua própria vida…. essa doença é a Dependência Química.
Entender profunda e intensamente esta doença não é algo fácil… psicólogos, psiquiatras, médicos, enfermeiros, assistentes sociais, terapeutas, pais e mães todos tem suas compreensões e entendimentos sobre o tema, e mais inescrutável e incompreensível ainda é a recuperação e seu processo diário da dependência do álcool e outras drogas – prescritas, lícitas ou ilícitas. A doença da alma, como já afirmava Jung, já carrega consigo o preconceito e o estigma, na mais pura acepção da palavra, como uma marca física com origem espiritual.
Já o processo de recuperação e da manutenção da abstinência é um balaio de sentimentos e emoções que o dependente carrega consigo diariamente, para onde vá e o que tenha de fazer ou não fazer lá estará o seu alforje com as escolhas que deverá tomar. Render-se dia após dia não é tarefa fácil, é realizar os 12 trabalhos de Hércules em 24 horas. O Dependente em recuperação mata um Leão da Neméia em sua jornada diária, decepa as nove cabeças da Hidra de Lerna que sussurram e conspiram contra a sua sobriedade e serenidade, é dominar as suas emoções como o Javali de Erimanto foi subjugado, é não deixar escapar a Corça de Cerinéia de seu foco de que a recuperação sempre vem em primeiro lugar. Também é ceifar as Aves de Estínfale de pensamentos negativos para que a colheita da recuperação dê bons frutos, é limpar as atitudes péssimas e desagradáveis como o estrume das Cavalariças de Áugia foi limpo e, ainda, controlar o Touro de Creta e as Éguas de Diomedes da insatisfação, sofrimento e angústia que habita em sua alma. 
E a jornada continua com as batalhas que trava com o seu interior assim como Hércules lutou contra Gérion, o gigante de três cabeças e Cérbero, O Guardião de Hades. Para depois, no final do dia, poder ganhar o Cinto de Hipólita e desfrutar das maças de ouro por mais um dia limpo e Vivo, sem precisar carregar um Mundo nas costas de arrependimentos, frustrações e medos como um castigo, assim como foi imposto por Zeus a Atlas. SPH!!
Previous ArticleNext Article
Piti Hauer
Presidente da Comissão de Políticas sobre Drogas da OAB-PR. Representante da OAB-PR no Conselho Estadual de Políticas Públicas sobe Drogas do Estado do Paraná. Especialista em Dependência Química pela UNIFESP. Professor na Faculdade Bagozzi. 1° Vice-Presidente da Fepact - Federação Paranaense das Comunidades Terapêuticas.