Aglomeração em parques e praças faz PM mandar mais de 560 pessoas para casa

Redação

aifu, pm, parques, praças, mon, praça do gaúcho, algomeração, algomerações

Operações para coibir aglomerações em parques e praças de Curitiba levaram à abordagem de mais de 500 pessoas neste domingo (23). Os cidadãos que descumpriam os decretos contra a covid-19 foram orientados a voltar para casa.

No parque do Museu Oscar Niemeyer, no Centro Cívico, os policiais militares dispersaram uma aglomeração de cerca de 500 pessoas, além de encaminharem mais duas por uso e porte de drogas. Na área do trânsito, um motorista embriagado que estava próximo do local foi encaminhado para uma delegacia após uma abordagem.

A Ação Integrada de Fiscalização Urbana (AIFU) envolve efetivo estadual e órgãos municipais, como Guarda Municipal e Vigilância Sanitária. As operações são reforçadas aos finais de semana, quando as denúncias de aglomerações aumentam.

“A ação é para prevenir e reprimir infrações administrativas, entre elas aglomeração de pessoas, frequentemente relacionados a alguns espaços públicos da Capital”, disse o coordenador operacional da AIFU, capitão Ronaldo Carlos Goulart.

Os pontos fiscalizados na tarde de domingo são conhecidos do meio policial por conta das denúncias feitas pela população. Neles há venda e consumo de bebidas alcoólicas e perturbação do sossego. Segundo o capitão, eles têm histórico de aglomeração.

O primeiro foi a Praça do Gaúcho, no bairro São Francisco, onde cerca de 60 pessoas foram abordadas e dois adultos acabaram encaminhados para lavratura de Termo Circunstanciado por uso e porte de drogas, sendo apreendidos pequenas porções de maconha. As equipes do Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran), que acompanham a operação, lavraram notificações de trânsito e recolheram dois veículos que estavam em situação irregular.

Ele acrescentou que a fiscalização tem ocorrido desde o início da pandemia, mas o aumento do número de casos e óbitos renovou a atuação para o cumprimento das recomendações das equipes de saúde.

“As pessoas devem ficar atentas às regras dos decretos do Estado e do município porque elas visam reduzir a contaminação e a propagação do vírus. Infelizmente ainda vemos que muitas pessoas não respeitam as medidas e, mesmo estando erradas, continuam com as práticas irregulares e colocam em risco toda a população”, alertou Goulart.

“Em algumas situações temos encontrado até foragidos da Justiça. Essas operações têm sido continuadas para que cada vez mais possamos reduzir os índices de crimes e os riscos de contaminação da população pelo vírus em locais públicos”, destacou o capitão.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="765842" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]