Barreiras sanitárias são reforçadas em Guaratuba; 672 carros foram barrados

Angelo Sfair

barreiras sanitárias, barreira sanitária, guaratuba, litoral, paraná, roberto justus, fiscalização

Com a chegada de um novo final de semana, as fiscalizações das barreiras sanitárias foram reforçadas em Guaratuba, no litoral do Paraná. A medida é necessária para impedir a circulação de veranistas e, assim, evitar a disseminação do coronavírus.

Sem hospitais de referência para atender pacientes que desenvolvem a forma grave da covid-19, a prefeitura baixou normas rigorosas. No final de semana passado, nem mesmo os serviços essenciais forma autorizados a funcionar.

Em entrevista ao Paraná Portal, o prefeito de Guaratuba, Roberto Justus, afirmou que a população do município têm correspondido e colaborado durante o período de restrição. Inclusive com a inscrição de voluntários para fiscalizar as barreiras sanitárias.

“E assim a gente vai para esse final de semana que inicia hoje, mas ainda mais para o final de semana do Feriado de Páscoa”, disse Justus, manifestando preocupação com a circulação de veranistas que insistem em furar as barreiras.

De acordo com o prefeito, não existe estrutura no litoral para manter policiais militares ou guardas municipais nas barreiras sanitárias. Por isso, são voluntários que fiscalizam e colaboram para a segurança dos moradores locais.

“Isso é perigoso, se você pensar também que a pessoa que está na barreira não é um policial ou um guarda. A gente só faz a medida dentro daquilo que oferece o mínimo de segurança. Não podemos causar uma instabilidade social”, disse Justus.

FURAR BARREIRA SANITÁRIA LEVA À MULTA E AÇÃO CRIMINAL

Só no final de semana passado, 672 veículo foram impedidos de ultrapassar as barreiras sanitárias. Eram moradores de Curitiba e de outros municípios que insistiam em não respeitar as regras. Os barrados precisaram retornar para a cidade de origem.

Ontem (25), de acordo com a Prefeitura de Guaratuba, o número de carros fiscalizados nas barreiras sanitárias já foi alto, indicando o crescimento do movimento do final de semana.

O prefeito Roberto Justus afirma que as pessoas que furarem a barreira serão responsabilizadas. “Só temos duas entradas. Nas duas temos câmeras de monitoramento que leem as placas dos veículos”, alertou.

“Se a pessoa entra, a gente identifica o condutor, além de responder por processos administrativos e multas, ela também vai responder por desacato ao servidor público e pode responder por crimes contra a saúde pública”.

Segundo o chefe do Executivo, as barreiras sanitárias são necessárias para manter a pandemia sob controle em Guaratuba.

Neste final de semana, diferentemente do passado, os serviços essenciais poderão funcionar, desde que respeitadas as normas sanitárias. Postos de combustíveis e fornecedores de gás voltam ao trabalho, assim como os restaurantes, que podem atuar no sistema delivery.

Com 37 mil habitantes, Guaratuba já confirmou 3.681 casos de coronavírus, segundo os dados da Sesa (Secretaria de Estado da Saúde) atualizado nesta sexta-feira (26). A covid-19 já foi responsável por 107 óbitos no município.

SÉRIE DE ENTREVISTAS MOSTRA SITUAÇÃO DA COVID-19 NO PARANÁ

Desde janeiro, gestores públicos que coordenam ações no combate ao coronavírus têm falado sobre o impacto da doença na comunidade.

O prefeito de Guaratuba, Roberto Justus, foi o quarto ouvido entrevistado pela equipe de jornalismo do Paraná Portal.

Confira quem já participou:

RAFAEL GRECA: PREFEITO DE CURITIBA

CHICO BRASILEIRO: PREFEITO DE FOZ DO IGUAÇU

ULISSES MAIA: PREFEITO DE MARINGÁ

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="753813" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]