Coronavírus
Compartilhar

Brasil recebe mais 17 milhões de vacinas da Pfizer até 22 de agosto

A Pfizer Brasil divulgou nesta segunda-feira (2) que vai entregar, nos próximos 20 dias, mais 17.640.090 milhões de dose..

Redação - 02 de agosto de 2021, 17:40

RIO DE JANEIRO, RJ, 03.03.2021 - VACINA-CORONAVÍRUS - O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), disse nesta terça-feira, 2, que o pretende comprar 20 milhões de doses da vacina da Pfizer e 20 milhões de doses da russa Sputnik V. A gestão paulista pretende usar os dois imunizantes, junto da Coronavac, produzida pelo Instituto Butantan, no programa de imunização contra a Covid-19. Na imagem ilustrativa, ampola de vacina Pfizer e seringa com logomarca em tela de fundo. (Foto: Kevin David/A7 Press/Folhapress)
RIO DE JANEIRO, RJ, 03.03.2021 - VACINA-CORONAVÍRUS - O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), disse nesta terça-feira, 2, que o pretende comprar 20 milhões de doses da vacina da Pfizer e 20 milhões de doses da russa Sputnik V. A gestão paulista pretende usar os dois imunizantes, junto da Coronavac, produzida pelo Instituto Butantan, no programa de imunização contra a Covid-19. Na imagem ilustrativa, ampola de vacina Pfizer e seringa com logomarca em tela de fundo. (Foto: Kevin David/A7 Press/Folhapress)

A Pfizer Brasil divulgou nesta segunda-feira (2) que vai entregar, nos próximos 20 dias, mais 17.640.090 milhões de doses da vacina contra covid-19, produzida em parceria com a BioNTech.

Segundo a empresa, o aeroporto de Viracopos, em Campinas, receberá 17 voos vindos de Miami, nos Estados Unidos, entre 3 e 22 de agosto. Somados aos lotes anteriores, mais de 47,6 milhões de doses terão sido entregues ao Brasil em 2021.

Até então, somente aviões cargueiros da UPS transportavam as vacinas. No entanto, com o aumento do número de doses entregues a partir de agosto até o final do ano, aeronaves da LATAM também entram nesse novo cronograma logístico.

“A Pfizer passa de uma média de entrega de 1 milhão de doses por semana, para 1 ou 2 milhões de doses por dia. Todo o processo que foi desenhado para o envio dessas doses, o desembaraço aduaneiro ainda nas nuvens implantado pela Receita Federal do Aeroporto de Viracopos, a entrega e distribuição pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI) de forma célere, vai ser fundamental a partir de agora”, explica Lucila Mouro, diretora de vacinas da Pfizer Brasil.

Entre o final de agosto e setembro, há previsão da chegada de quase 52,4 milhões de doses. O número está presente no primeiro acordo firmado no dia 19 de março e que contempla a disponibilização de 100 milhões de vacinas até o final do terceiro trimestre de 2021.

O segundo contrato, assinado em 14 de maio, prevê a entrega de outras 100 milhões de doses entre outubro e dezembro. Ao longo do ano, a Pfizer e BioNTech irão fornecer um total de 200 milhões de doses de vacina ao Brasil para apoiar o combate à pandemia.

As doses do imunizante que estão chegando ao Brasil são produzidas em duas fábricas nos Estados Unidos, Kalamazoo e McPherson, além de uma fábrica na Europa, em Purrs, na Bélgica.