AO VIVO: Gerente da Anvisa recomenda aprovação da CoronaVac; falta votação

Redação

Governo compra mais 54 milhões de doses da CoronaVac

A CoronaVac, desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac, é a primeira vacina recomendada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) no Brasil. A informação foi dita pelo gerente-geral de Medicamentos e Produtos Biológicos, Gustavo Mendes, durante a reunião que aprecia os pedidos do uso emergencial. Acompanhe a reunião da Anvisa!

Mendes é o responsável pela apresentação de três áreas técnicas da CoronaVac e também da vacina de Oxford/AstraZeneca. O primeiro imunizante já foi abordado e agora o gerente detalha os dados da vacina da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz).

Assista, ao vivo, a reunião da Anvisa que decide o uso emergencial das vacinas no Brasil.

CASO APROVADA NA ANVISA, GOVERNO DE SÃO PAULO VAI VACINAR AINDA HOJE

O governo de São Paulo fará a primeira vacinação ainda neste domingo (17) caso a Anvisa aprove o uso emergencial da Coronavac, vacina contra covid-19 desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac.

Com a eventual aprovação, governador João Doria (PSDB) vai se deslocar ao Hospital de Clínicas da da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e estará presente na primeira vacinação. Conforme o pedido, os profissionais de saúde, idosos e indígenas serão os primeiros a receber as doses do imunizante.

CORONAVAC

A CoronaVac foi desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac. A apresentação dos resultados já foi feita: a eficácia global é de 50,4%.

O que isso significa? Que metade das pessoas que tomam a vacina se tornam imunes ao coronavírus e não pegam a doença. Além disso, a outra parcela, que contraiu o vírus mesmo tomando a vacina, não desenvolve casos graves. Ou seja, não são necessárias internações em UTIs e não há qualquer chance de morte por causa da covid-19.

Além disso, a vacina contra a covid-19 é um dos trunfos do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), na eventual disputa das eleições de 2022 contra o atual presidente Jair Bolsonaro. Resta o aval da Anvisa para a vacina ser aplicada na população. Vale lembrar que o governo federal já incluiu o imunizante no PNI (Plano Nacional de Imunização) e vai distribuir aos estados e municípios.

Previous ArticleNext Article