13% dos animais com tutores infectados testam positivos para Covid-19, diz estudo

Angelo Sfair

covid-19, covid-19 em animais, coronavírus, covid, estudo, ufpr, curitiba, são paulo, universidade federal do paraná

Um estudo preliminar conduzido por pesquisadores da UFPR (Universidade Federal do Paraná) desde outubro de 2020 aponta 13,5% dos animais cujos tutores contraíram a Covid-19 também testaram positivo para o novo coronavírus.

A pesquisa é conduzida em seis capitais brasileiras e acompanhou, até o momento, 111 animais. Entre eles, 15 apresentaram resultado positivo para a presença do vírus Sars-CoV-2.

O estudo pretende avaliar cerca de mil animais de estimação para investigar o papel de cães e gatos como possíveis reservatórios do vírus. Até o momento, não há indícios de que os pets transmitam o vírus para humanos.

Em Curitiba, 31 animais foram testados. Foram identificados quatro cães e um gato infectados com o novo coronavírus. Em São Paulo, os pesquisadores investigaram 22 animais cujos tutores contraíram a Covid-19, sendo que 10 pets também testaram positivo (nove cães e um gato).

O diretor do Hospital Veterinário da Universidade do Estado do Oregon, Helio Silva Autran de Morais, explica que gatos pode desenvolver sinais clínicos respiratórios e gastrointestinais. Mas, para ele, é mais provável que as causas não estejam relacionadas ao coronavírus.

“É muito difícil saber se os sinais clínicos compatíveis com a Covid-19 de um felino positivo para o vírus são mesmo em decorrência da doença ou são devido a outras causas”, afirma Morais, que atua como consultor científico internacional do projeto da UFPR.

COVID-19 EM ANIMAIS

kyra, covid-19, covid-19 em animais, coronavírus, covid, estudo, ufpr, curitiba, são paulo, universidade federal do paraná
A cadela Kyra foi infectada pelo coronavírus em 2020 (Divulgação/Pet-Covid/UFPR)

Um estudo preliminar realizado no Reino Unido relacionou a miocardite, inflamação grave no coração, a cães infectados com variante B.1.1.7 (variante britânica) do novo coronavírus. No entanto, a comunidade científica alerta que são necessários mais dados.

“É interessante que seis, de 11 animais com miocardite estudados, tinham evidência de SARS-CoV-2. Mesmo com todas as limitações ainda existentes, devemos incluir o vírus na lista de diferenciais para miocardite até que saibamos mais a respeito”, avalia Morais.

Além de cães e gatos, outros animais podem ser infectados pelo novo coronavírus. Conforme a OIE (Organização Mundial da Saúde Animal), já foram identificados casos de Covid-19 em furões, gorilas, tigres, leões, leopardos, pumas e visons.

A Organização considera que todas essas espécies, além de cães e gatos, são sensíveis e podem desenvolver sinais clínicos da Covid-19.

CUIDADOS 

Quanto à transmissão para humanos, com exceção dos visons, que possivelmente transmitiram o coronavírus na Holanda e na Dinamarca, não há evidências de que animais tenham papel relevante na disseminação da doença.

“A carga viral expelida pela maioria dos bichos de estimação é baixa, o que diminui o risco de infecção. Mas pessoas com Covid-19 devem evitar beijar, dormir, deixar-se lamber ou manter contato próximo com os cães e gatos durante o período da doença”, orienta Morais.

*Com informações da UFPR

Previous ArticleNext Article