Covid-19: Amazonas retribui ajuda e envia cilindros de oxigênio ao Paraná

Redação

escassez, medicamento, medicamentos, remédios, uti, leito de uti, uti, hospital, respirador, oxigênio, oxigenação, ventilação mecânica, coronavírus, covid-19, amazonas, paraná

Menos de dois meses após receber ajuda do Paraná para tratar pacientes com covid-19, agora é o Amazonas quem presta socorro. Um avião da FAB (Força Aérea Brasileira) traz 200 cilindros de oxigênio, que vão abastecer hospitais paranaenses.

O Sul do Brasil agora é considerado o epicentro da pandemia do coronavírus, e a rápida escalada de casos desde janeiro fez que os leitos e os insumos disponíveis no Paraná se esgotassem.

A Sesa (Secretaria de Estado da Saúde do Paraná) confirmou o recebimento dos cilindros de oxigênio, mas não informou para quais regionais eles serão destinados. Em nota, a pasta diz que vai “avaliar as regiões com maior necessidade”.

Na região sudoeste do Paraná, a falta de oxigênio nos hospitais de Clevelândia fez com que empresários se organizassem para comprar e distribuir insumos às unidades.

Pelo menos três cervejarias da região sudoeste as empresas interromperam parte da produção para doar cilindros para envasar oxigênio aos pacientes internados.

O Paraná agora acumula 769.966 casos confirmados e 14.087 mortes por complicações da Covid-19.

De acordo com a Sesa, o Paraná tem 2.570 pacientes com Covid-19 internados em hospitais da rede pública ou privada. Destes, 1.149 ocupam leitos de UTI, enquanto 1.421 realizam o tratamento em vagas de enfermaria.

Além disso, outros 2.765 pacientes com quadros respiratórios seguem internados.

A taxa de ocupação dos leitos de UTI do SUS exclusivos para Covid-19 é de 96%. O indicador é superior a 90% em todas as regiões.

Previous ArticleNext Article