Curitiba bate recordes da covid-19 e UTIs lotam em hospitais; veja tudo sobre o avanço

Vinicius Cordeiro

Coletiva de Greca, recordes, casos, mortes, recuperados e possível colapso: saiba tudo do coronavírus em Curitiba
covid-19 curitiba coronavírus boletim casos mortes

Com 1.381 confirmações nas últimas 24 horas, Curitiba bateu recorde de novos casos da covid-19 pelo segundo dia seguido. Conforme o boletim da SMS (Secretaria Municipal da Saúde), também foram registradas mais nove mortes. No acumulado, a capital paranaense totaliza 64.030 infectados (54.013 recuperados) e 1.602 óbitos por complicações do coronavírus.

Essa é a primeira vez que Curitiba registra mais de mil infectados em um único dia. A prefeitura contabilizou mais 1.508 casos na última segunda (16), mas os dados também incluíam os números do domingo.

A capital paranaense emplaca uma série de nove dias seguidos com mais de 700 confirmações diárias. No primeiro pico do coronavírus em Curitiba, durante o inverno, o patamar ficou abaixo de 800 infectados/dia. Nos dias 15 e 16 de julho foram 717 e 768 infectados, respectivamente, o que era a pior série até o mês de novembro.

Para falar sobre o aumento dos casos de covid-19 em Curitiba, o prefeito Rafael Greca e a secretária de Saúde Márcia Huçulak vão conceder entrevista coletiva nesta sexta-feira (20), às 10h. A atual administração nega que seja uma segunda onda e atribui a disparada dos números ao feriado ao início do mês, mas ressalta a preocupação com o momento mais delicado da pandemia. Em entrevista ao Paraná Portal, Huçulak afirmou que “o curitibano perdeu o medo”.

OUTRO RECORDE: CURITIBA NUNCA TEVE TANTOS CASOS ATIVOS DE COVID-19

Outro dado fornecido pela prefeitura de Curitiba é o número de casos ativos, que representa o número de pessoas com potencial transmissão do coronavírus.

Hoje são 8.415 casos ativos, acima dos 7.992 registrados no final de julho. Isso quer dizer que nunca houve tantos infectados com possibilidade de contágio da doença.

TAXA DE OCUPAÇÃO DOS LEITOS DE UTI SE APROXIMA DOS 90%

Boletim Covid-19 Paraná, Brasil e Curitiba
Leito de UTI no Paraná. (Gilson Abreu/ANPr)

A taxa de ocupação dos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) SUS (Sistema Único de Saúde) subiu de 82% para 87%. Isso significa que dos 283 leitos disponíveis, apenas 38 estão livres.

A SMS sempre ressalta que todos os pacientes que são internados com algum quadro de síndrome respiratória aguda grave vão para os leitos exclusivos covid-19, ou seja, não são apenas os pacientes com a covid-19 confirmada.

Além disso, seis dos nove hospitais com leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) da rede pública exclusivos para covid-19 estão sem vagas. O dado consta no Portal da Transparência, atualizado pela Sesa (Secretaria de Estado da Saúde) e que não abrange hospitais privados.

SMS TRABALHA PARA EVITAR COLAPSO NO SISTEMA DE SAÚDE, DIZ DIRETOR

O diretor do Centro de Epidemiologia da SMS, Alcides de Oliveira, falou que o trabalho da pasta está focado para que a cidade não entre em colapso no sistema de Saúde.

“É muito preocupante toda essa questão, a covid-19 é muito dinâmica. Observamos essa escalada e o aumento do número de leitos estão sendo executadas. Não dá pra dizer que a gente já está em colapso ou na iminência de colapso. Estamos tomando medidas e queremos evitar que chegue nesse ponto”, diz ele.

Desde setembro, a prefeitura de Curitiba desativou 72 leitos exclusivos para coronavírus por causa da estabilidade dos números de casos e mortes. Nessa semana, porém, a atual administração trabalha no sentido contrário e busca criar mais espaços para não deixar de atender a população. Até agora foram abertas 10 vagas.

NOVO DECRETO PODE SER PUBLICADO E BANDEIRA DEVE PASSAR PARA LARANJA

curitiba bandeira laranja restrições covid-19
Curitiba deve retomar a bandeira laranja. (André Rodrigues/FramePhoto/Folhapress)

A prefeitura de Curitiba adotou um sistema de bandeiras para determinar as medidas restritivas ao longo da pandemia. As cores amarela (alerta), laranja (risco médio) e vermelha (risco alto) são representadas pelos valores 1, 2 e 3. A nota é resultado de um cálculo feito sobre nove indicadores, sendo que seis se referem ao nível de propagação da doença e três avaliam a capacidade de resposta do Sistema de Saúde da cidade.

Um dos indicadores é a taxa de transmissão do vírus, chamado de ‘r’. O índice está em 1,25 nesta quinta, mas o diretor da SMS afirmou que a tendência é o cálculo fechar em 1,5 nesta sexta-feira.

A tendência é que as altas dos números da covid-19 em Curitiba modifiquem a bandeira para laranja. Na prática isso significaria a volta de restrições em bares, restaurantes, mercados, Igrejas e demais estabelecimentos comerciais.

PREFEITURA PEDE PARA QUE POPULAÇÃO NÃO VÁ ÀS UNIDADES DE PRONTO ATENDIMENTO

Alcides Oliveira, diretor da SMS, defende que é preciso que haja uma mudança no comportamento das pessoas e que é necessário voltar a adotar todas as medidas de prevenção. A prefeitura recomenda que a população evite sair de casa, não faça aglomerações, use a máscara e higiene as mãos, com álcool gel ou água e sabão, constantemente,

“O momento agora é para que voltamos a ter todos os cuidados para que possamos garantir que a gente viva com segurança, com algumas restrições. O mais importante é a adesão de todos os seguimentos da sociedade, seja do proprietário do estabelecimento comercial ou do idoso. Recomendamos que as pessoas fiquem em casa, evitem a circulação desnecessária, não faça aglomeração, e mantenha o álcool gel disponível”, ressalta.

“Com o cansaço de conviver, as pessoas não acreditam mais na doença e acham que ela teria ido embora. Não é o caso”, finaliza ele.

Com alta demanda nas UPAs (Unidades de Pronto Atendimento), a prefeitura solicita que as pessoas com suspeita de coronavírus em Curitiba liguem para a Central de Atendimento – número 3350-900, disponível das 8h às 20h em todos os dias da semana. O profissional vai avaliar o caso e dar o encaminhamento correto.

Previous ArticleNext Article