Hospitais privados de Curitiba estão esgotados, diz secretária da Saúde

Vinicius Cordeiro

Huçulak afirma que se não assentar o povo Curitiba terá colapso pela Covid-19

Curitiba está com os hospitais da rede privada no limite após o aumento de casos da covid-19, conforme a secretária de Saúde, Márcia Huçulak. Em entrevista coletiva ao lado do prefeito Rafael Greca, ela assegurou que a cidade terá capacidade para responder ao novo avanço do coronavírus.

“A rede privada está esgotada. Um diretor de um grande hospital privado, que não atende o SUS, me ligou na segunda-feira à noite dizendo que estava fechando o pronto atendimento porque não tinha mais onde colocar gente”, disse Huçulak.

“Ontem fui acionada por uma reunião de emergência com a diretoria da Unimed, desesperados os hospitais, porque os pacientes estavam ficando nas emergências da rede privada, sem leitos de UTI. De madrugada, transferimos uma paciente de convênio para um hospital do SUS porque não tinha leito. Essa é a situação da rede privada”, completou Huçulak.

Segundo a secretária, Curitiba bateu 96% de ocupação dos leitos exclusivos covid-19 no dia 25 de julho. Conforme o boletim da SMS, Curitiba já registrou 64.030 infectados e 1.602 mortes por complicações da covid-19 e tem hoje 86% de ocupação dos leitos da rede pública.

“Aconteceu a mesma coisa na rede privada antes. Primeiro lota a rede privada, e depois o SUS”, afirma.

Questionados sobre um novo decreto sobre a bandeira em vigor, Greca e Huçulak disseram que a mudança depende dos cálculos feitos agora à tarde.

SEIS HOSPITAIS DE CURITIBA COM LEITOS SUS JÁ ESTÃO SEM VAGAS

hospitais curitiba
(Paraná Portal)

Conforme o painel da transparência fornecido pela Sesa (Secretaria de Estado da Saúde), seis dos nove hospitais que dispõe de leitos de UTI da rede pública exclusivos para covid-19 não tem mais vagas.

Conforme os dados do último boletim municipal, Curitiba tem hoje 283 leitos de UTI disponíveis, sendo que a taxa de ocupação é de 86%. Ou seja, restam 38 leitos.

Por isso, a prefeitura de Curitiba trabalha para a reabertura dos 72 leitos que foram fechados após a estabilização dos números da covid-19. A atual administração já solicitou a suspensão das cirurgias eletivas e conta com o apoio do governo do Paraná e municípios da Região Metropolitana façam o mesmo.

“Preocupa a [taxa de] ocupação. O nosso grande desafio hoje é que o paciente que está chegando hoje não é só covid. Acabei de ter uma situação que um paciente é portador de um câncer, então ele precisa de um hospital que tenha suporte oncológico também”, afirmou a secretária da Saúde Márcia Huçulak.

“Nós temos uma capacidade de 370 leitos de UTI. Estamos com 283, então vamos reativar esses leitos, e também temos leitos clínicos, podemos chegar a 450 facilmente. Nessa base que conseguimos dizer que temos uma estrutura que pode dar conta dessa situação”, finaliza a secretária.

Previous ArticleNext Article