HU de Londrina chega ao limite e pede medidas mais duras de combate à pandemia

Tarobá News

Londrina fecha bares até 18 de fevereiro para tentar frear Covid-19

Após restringir a entrada de pacientes não Covid-19, o Hospital Universitário de Londrina, na região norte do Paraná, enviou um ofício à Prefeitura pedindo medidas mais restritivas contra o novo coronavírus.

Ontem, o pronto-socorro do HU de Londrina registrou taxa de ocupação de 83% e, por 12 horas, restringiu a entrada de pacientes sem sintomas ou confirmação do novo coronavírus. Nesta semana, o hospital também registrou superlotação de 139% nos leitos.

A superintendente Vivian Feijó sugere, no documento, a suspensão ou limitação de festas e eventos em buffets, o aumento da frota do transporte coletivo para que todos os passageiros possam se locomover sentados e o fim da gratuidade dos idosos nos ônibus, como forma de desestimular a circulação dos integrantes do grupos de risco.

O HU também solicita ainda que a Prefeitura de Londrina reavalie a autorização para funcionamento de bares e casas noturnas, além de manter confraternizações restritas ao grupo familiar que moram na mesma residência, com no máximo 10 pessoas.

Na avaliação do hospital, atividades esportivas coletivas em espaços públicos ou privados, como condomínios, devem ser vedadas. A Instituição também quer que a Prefeiturareavalie a permissão de abertura de igrejas e o horário de funcionamento do comércio e dos shoppings, de modo a promover um reescalonamento.

A gestão do Hospital reconhece que restrições mais duras, como o lockdown, são difíceis de serem executadas, mas alega que a situação é crítica.

*leia a matéria completa em Tarobá News, parceiro do Paraná Portal.

Previous ArticleNext Article