Huçulak teme 4ª onda de Covid em Curitiba: “Pode ser maior que as anteriores”

Redação

huçulak curitiba casos covid-19

Com o endurecimento das medidas de restrições, a prefeitura de Curitiba mostra grande preocupação ao registrar aumento de casos de Covid-19. A secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak, admitiu que a bandeira vermelha (nível de alerta máximo contra o coronavírus) pode ser retomada na semana que vem.

“A gente não esperava aquela onda de março e abril por causa de saída do verão. A preocupação é que a gente tenha uma quarta onda que pode ser maior que as anteriores. Tudo indica que a gente está indo para a quarta onda, voltamos para o patamar de ascensão”, disse ela em entrevista ao Meio Dia PR. “Na próxima quarta-feira, a gente tende ir para a [bandeira] vermelha de volta”, completou.

Uma das preocupações de Huçulak é o frio, causado por uma massa de ar polar, que atingiu Curitiba e boa parte do Paraná nesta semana. Com as temperaturas amenas, as pessoas tendem a ficar em ambientes mais fechados e com menor circulação de ar, o que pode resultar no aumento de carga viral nos ambientes e propagar a Covid com maior facilidade.

“Agora, no outono e inverno, as pessoas tendem a ficar menos preocupadas com medidas. Precisa ventilar novamente, agora é o risco que a gente tem porque os quadros ficam exacerbados novamente”, aponta a secretária.

NÚMEROS DA COVID-19 AUMENTAM E PREOCUPAM, DIZ HUÇULAK

A evolução da pandemia de coronavírus pode ser medida com a taxa de reprodução da doença, chamada de r. Esse índice estava em 0,69 no dia 2 de abril e agora está em 1,06. Na prática, isso quer dizer que 100 pessoas infectadas hoje transmitem a doença para outras 106 pessoas, o que faz com que os casos e mortes aumentem.

Além disso, a prefeitura de Curitiba registra crescimento das internações de pessoas entre 50 e 59 anos, conforme dito por Márcia Huçulak. Na última semana de abril, esse grupo respondeu por 31% do total de internamentos, maior índice para esta faixa etária desde o início da pandemia

Em contrapartida, a proporção de internamentos dos idosos com 80 anos ou mais caiu 81% entre o início de fevereiro para o fim de abril. Neste mesmo período, a população de 70 a 79 anos teve queda de 49% nas internações. Vale lembrar que essas faixas etárias já foram contempladas no calendário de vacinação.

Movimentação durante a pandemia de Covid-19 no centro de Curitiba. (Foto: Eduardo Matysiak/Futura Press/Folhapress)

Para completar, o número de casos ativos de coronavírus também saltou. No dia 2 de maio, eram 6.048 pessoas capazes de transmitirem a doença. Hoje, o índice está em 7.630, o que representa crescimento de 26%.

Por fim, também é registrado o aumento da procura da população por serviços da Saúde, como em UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) e os hospitais.

MEDIDAS RESTRITIVAS EM CURITIBA NESTE MOMENTO

A Prefeitura de Curitiba divulgou novo decreto ontem (13) com validade até a quarta-feira da semana que vem, dia 19. A vigência é de uma semana devido às preocupações do aumento da curva de casos e internações.

“Se não houver colaboração da população, corremos o risco de ter de voltar à bandeira vermelha”, afirmou Huçulak, por meio da assessoria, quando as restrições foram divulgadas.

Entre as atividades suspensas, estão as casas de shows, teatros, cinemas, circos e estabelecimentos destinados a eventos sociais, como festas, eventos e recepções. Bares e reuniões com aglomerações de pessoas também estão proibidos. Por fim, também, a prefeitura veta o consumo de bebidas alcoólicas em vias públicas e a circulação de pessoas (toque de recolher) entre 22h e 5h.

Já o comércio, galerias e centros comerciais podem funcionar das 9h às 19h, de segunda a sábado, sendo autorizado aos domingos apenas o atendimento na modalidade delivery até às 19 horas.

Shopping centers abrem das 10 às 21 horas, de segunda a sábado. No domingo, também está liberado o delivery.

Os restaurantes podem funcionar das 10 às 22 horas, de segunda a sábado, inclusive na modalidade de atendimento de buffets no sistema de autosserviço (self-service), e aos domingos apenas o atendimento nas modalidades delivery, drive-thru e retirada em balcão (take away) até às 22 horas.

Já as lanchonetes passam a funcionar das 6 às 22 horas, de segunda a sábado, inclusive na modalidade de atendimento de buffets no sistema de autosserviço (self-service), e aos domingos apenas o atendimento nas modalidades delivery, drive thru e retirada em balcão (take away) até às 22 horas. Também é proibido o consumo no local.

As academias de ginástica para práticas esportivas individuais podem funcionar das 6 às 22 horas, de segunda a sábado, com proibição de abertura aos domingos.

Para ver todas as regras, clique aqui ou acesse o site da prefeitura.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="763721" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]