Início dos testes da vacina russa no Paraná pode ser adiado

William Bittar - CBN Curitiba

O protocolo que seria enviado à Anvisa até o final de setembro ainda não foi finalizado; entenda!
vacina, sputnik v, sputnik, rússia, fundo russo de investimento, brasil, covid-19, coronavírus

Para que a fase 3 da vacina russa Sputnik V seja iniciada no Paraná, um protocolo de validação da vacina deve ser aprovado pelos órgãos reguladores. No entanto, o protocolo que, segundo o Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar), seria enviado à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) até o final de setembro, ainda não foi finalizado.

No início de setembro, o Tecpar informou que a previsão era de que a fase 3 dos testes clínicos da vacina, em cerca de 10 mil paranaenses, fosse iniciada ainda em outubro, mas, como o envio do protocolo de vacinação aos órgãos regulatórios ainda não foi realizado, o início pode ser adiado.

Segundo o instituto, depois do envio do protocolo de ensaio clínico e da aprovação da Anvisa e da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep), os testes serão realizados.

Serão duas doses intervaladas por 21 dias, prioritariamente para profissionais de saúde dos hospitais universitários e eventualmente para grupos de risco (diabéticos e hipertensos). A faixa etária ainda não foi definida.

Em nota, o Tecpar frisou que “a elaboração do dossiê é um processo complexo, que envolve tratativas técnicas, traduções e estudos sobre os dados que serão utilizados para a finalização do documento, que trata sobre a vacina que será disponibilizada contra o Covid-19, que desafia os sistemas de saúde em busca de uma solução inovadora”.

Ainda de acordo com o Tecpar, “o protocolo oficial que será submetido aos órgãos regulatórios terá o pedido de autorização dos testes no Brasil e detalhará o plano de execução da fase”.

Previous ArticleNext Article