Em momento crítico da pandemia, MON decide reabrir as portas a partir de sábado

Redação

mon, museu oscar niemeyer, curitiba, pandemia, covid, covid-19, coronavírus, pandemia

No momento em que as infecções pelo coronavírus resultantes dos feriados de Natal e ano-novo começam a se materializar nos informes diários da Covid-19 no Paraná, o MON (Museu Oscar Niemeyer) decidiu reabrir as portas a partir deste sábado (9).

A decisão contraria as principais recomendações de combate e controle da pandemia do coronavírus: isolamento domiciliar e distanciamento social. Programas de lazer devem ser evitados, uma vez que a demanda por leitos de UTI cresce no Estado.

Devido à crise sanitária causada pela Covid-19, o MON permaneceu fechado entre 17 de março e 16 de outubro, e posteriormente de 6 de dezembro de 2020 até 8 de janeiro de 2021.

A reabertura do museu neste momento expõe a incoerência com a postura adotada no ano passado. Afinal, a média móvel de novos casos e mortes por Covid-19 atualmente é superior a todo o período de 8 meses no qual o MON pertenceu fechado em 2020.

Há 20 dias, o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, foi taxativo ao afirmar que desestimular aglomerações é a única forma segura de lidar com a pandemia até que uma vacina seja disponibilizada para todos.

Segundo ele, uma “explosão de casos” de Covid-19 pode acontecer a qualquer momento. Com os hospitais lotados e as equipes exauridas, esse cenário deve ser combatido a todo custo, segundo Beto Preto.

MON REABRE E DIVULGA PROTOCOLO SANITÁRIO

Sem explicar por que decidiu reabrir as portas em um momento crítica da pandemia do coronavírus, o MON divulgou um novo protocolo de segurança que deve ser seguido pelos visitantes. Veja:

– Será permitida a entrada de até 200 pessoas simultaneamente.

– Prefira horários com menor fluxo de público: pela manhã ou após as 16h.

– Compre o ingresso pelo site do MON. É rápido, seguro e evita passar pela bilheteria.

– Para compra de ingresso na bilheteria haverá uma sinalização especial para evitar aglomerações e orientação de equipe do museu.

– É necessário usar máscaras de proteção e recomendável levar mais uma para que possa ser substituída ao longo da visita, se necessário. Quem esquecer em casa pode adquirir na MON Loja

– Em caso de filas é preciso respeitar as marcações de solo que indicam a distância segura de dois metros.

– Na entrada do museu, no detector de metais, haverá aferição da temperatura corporal e a higienização individual de bandejas porta-objetos e outros itens. Tapetes desinfetantes também foram instalados nesse local para garantir a higienização dos calçados.

– Na entrada e depois, em diversos locais do MON, há dispensadores com álcool em gel 70% para que as mãos sejam higienizadas com freqüência.

– O guarda-volumes do MON estará aberto e devidamente higienizado. inclusive as chaves, e serão disponibilizadas embalagens plásticas individuais para colocar os pertences antes de guardá-los nos armários. O ideal é que o visitante sempre leve o mínimo de objetos possível. Líquidos, alimentos, mochilas e bolsas grandes devem sempre ser guardados.

– Como medida preventiva, os empréstimos de cadeiras de rodas e de carrinhos de bebê estão temporariamente suspensos para que não sejam compartilhados.

– Pessoas com mobilidade reduzida terão prioridade no uso dos elevadores e eles estarão liberados para uso individual ou por pessoas de um mesmo grupo de convivência (famílias, por exemplo).

– A visitação das salas expositivas, bem como de todo o MON, terá um limite de pessoas.

– São sugeridas algumas rotas dentro do museu, sinalizadas nos pisos, assim como uma indicação dos sentidos para subida e descida nas rampas para deixar o fluxo mais organizado e seguro.

– A recomendação é evitar tocar nos corrimãos, portas e outros objetos, como expositores de vidro. Embora devidamente higienizados, o ideal é evitar o contato. O mesmo vale para as salas expositivas e o Pátio das Esculturas.

– O material informativo do MON, como guia da programação e folders das exposições, foi substituído do papel para versões digitais, disponíveis por QR codes encontrados na entrada e também nas salas expositivas.

– O Centro de Documentação está temporariamente fechado para visitas e consultas presenciais, mas solicitações de pesquisa podem ser encaminhadas pelo e-mail pesquisa@mon.org.br.

– As oficinas artísticas e as visitas mediadas acontecem agora de forma virtual. Acompanhe nas redes sociais e consulte o site do museu.

– Pessoas cegas ou com baixa-visão que desejem visitar o espaço tátil do programa MON Para Todos deverão agendar a visita pelo e-mail agendamento@mon.org.br para que sejam tomadas todas as medidas de higienização necessárias. Por segurança, o acesso a esse espaço não está disponível para os demais visitantes.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="738162" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]