Covid-19: mortalidade entre crianças cresce, mas é a menor entre todas as faixas etárias

Redação

covid, covid-19, coronavírus, mortalidade, taxa de mortalidade, crianças, idoso, paraná, sesa, secretaria de estado da saúde

A taxa de mortalidade por covid-19 entre crianças de 0 a 10 anos incompletos no Paraná é a menor entre todas as faixas etárias. Desde o início da pandemia até o dia 14 de abril, de acordo com a Sesa (Secretaria de Estado da Saúde), foram registrados 12 óbitos neste grupo, o que corresponde a 0,06% do total.

No entanto, em 2021, houve crescimento expressivo de óbitos por covid-19 na faixa etária de 0 a 10 anos incompletos. No ano passado, a única morte por complicações do coronavírus em crianças foi registrada em maio. As outras mortes ocorreram entre janeiro e abril de 2021, com destaque negativo para fevereiro (7 óbitos).

O aumento de óbitos acompanha a piora da taxa de mortalidade entre crianças:

  • 2020: 1 mortes para 12.829 casos (0,007%)
  • 2021: 11 mortes para 6.765 casos (0,16%)

De janeiro da abril de 2021, enquanto as mortes por covid-19 aumentaram 147% no Paraná, considerando todas as faixa etárias, o avanço entre crianças de com até 10 anos completos foi de 1.100%.

Apesar disso, a taxa de mortalidade por covid-19 entre crianças de 0 a 10 anos incompletos é muito inferior à média estadual. No Paraná, 2% dos casos confirmados de coronavírus evoluem para óbito. Na faixa etária específica das crianças, esse índice é de apenas 0,04%.

A análise não considera possíveis subnotificações.

CASOS E MORTES POR COVID-19 EM CRIANÇAS DE 0 A 10 ANOS INCOMPLETOS

  • Abril (até 14/04): 1.560 casos e 1 morte
  • Março: 6.645 casos e 1 morte
  • Fevereiro: 2.805 casos e 7 mortes
  • Janeiro: 4.374 e 2 mortes

IDADE É O PRINCIPAL FATOR DE RISCO

Conforme os dados da Sesa (Secretaria de Estado da Saúde), 73,36% das vítimas da covid-19 no Paraná eram idosas. A doença causada pelo coronavírus tende a se desenvolver de forma mais grave nas pessoas mais velhas. Quanto maior a idade, maior o risco.

No ranking de fatores associados aos óbitos por covid-19, após a idade, aparecem doenças cardiovasculares crônicas (45,62%) e Diabetes mellitus (30,56%).

Com o avanço ainda tímido da vacinação contra a covid-19, a mortalidade ente idosos vem caindo pouco a pouco. Ao mesmo tempo, os casos graves envolvendo jovens e adultos aumentos.

Nesse cenário, a obesidade tem ganhado relevância nas análises sobre fatores de risco do coronavírus. Dividida em quatro grupos, a obesidade é constatada quando o IMC (índice de massa corpórea) é superior a 30. Calcule seu IMC.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="757749" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]