Paraná aguarda orientação para 3ª dose e vacinação dos adolescentes, diz Beto Preto

Redação

beto preto paraná

O secretário estadual da Saúde, Beto Preto, disse hoje (20) que aguarda orientações do Ministério da Saúde sobre como o Paraná vai prosseguir a vacinação contra covid-19 após toda a população adulta tomar a primeira dose. Isso porque aumentam os debates sobre a necessidade de uma dose de reforço.

“O ministro Marcelo Queiroga disse nessa semana que talvez, em algumas faixas etárias e grupos de trabalhadores de saúde, seja efetivada a necessidade da terceira dose. Vamos aguardar a orientação e até semana que vem fatalmente teremos isso”, diz Beto Preto.

Além disso, também há discussão sobre a aplicação das vacinas nos adolescentes e crianças, que deve acontecer ao fim da imunização da população adulta. “Estamos trabalhando nessa lógica e assim que tivermos essa informação nós vamos dar transparência. Mas já estamos nos preparando aqui na Secretaria e vamos tratar disso também com o Conselho dos secretários municipais de Saúde”, completou o secretário do Paraná.

Estudos apontam que uma terceira dose agiria como reforço para o organismo. Isso porque a quantidade de anticorpos tende a cair com o passar do tempo, apesar do corpo ter outras formas de defesa.

O laboratório Sinovac, da China e responsável pela fabricação da Coronavac, divulgou duas pesquisas que sugerem a aplicação da terceira dose entre seis a oito meses após a aplicação das duas primeiras doses. Isso pode aumentar em até sete vezes o número de anticorpos que bloqueiam a entrada do vírus nas células.

Já um estudo da Universidade de Oxford aponta que o intervalo maior entre as duas doses da AstraZeneca, em até 45 semanas, e a aplicação da terceira dose têm sucesso para aumentar em até 18 vezes a taxa de anticorpos.

No entanto, a OMS (Organização Mundial da Saúde) e a ONU (Organização das Nações Unidas) se posicionam contra a aplicação da dose de reforço devido à desigualdade da vacinação no mundo. Os países da África não vacinaram nem 10% da população enquanto o Haiti iniciou a campanha de imunização em julho.

Os Estados Unidos, contudo, já anunciaram que vão aplicar a terceira dose a partir do dia 20 de setembro. No Brasil, o ministro Marcelo Queiroga diz que já “há um consenso da necessidade” do reforço, mas que prevê a definição para outubro, após o término do estudo do Ministério da Saúde.

VACINAÇÃO CONTRA COVID NO PARANÁ

Conforme o Vacinômetro da Sesa (Secretaria de Estado da Saúde), mais de 7 milhões de paranaenses já tomaram ao menos uma dose. 6.735.927 tomaram a primeira dose das vacinas Coronavac, AstraZeneca e Pfizer, enquanto 327.750 receberam a dose única da Janssen. Além disso, 3,3 milhões já tomaram duas doses.

Vale lembrar que o Estado atingiu a meta de imunizar 80% dos adultos com duas semanas de antecedência e prevê que todos desse grupo receberão uma dose (ou a dose única da Janssen) até o fim de setembro.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="784699" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]