Presidente da Argentina testou positivo para coronavírus

Redação

Alberto Fernández confirmou contágio pelo Twitter. Ele havia sido vacinado com uma dose da Sputnik V
Preisdnte da Agentina, Alberto Fernández, testa positivo para coronavírus

O presidente Alberto Fernández, de 62 anos, informou nos primeiros minutos da madrugada deste sábado (3) que testou positivo para coronavírus em um teste de antígeno. Ele deu a informação por meio de sua conta pessoal no Twitter e disse que já está isolado conforme indicação de seu médico. As informações são da agência oficial de notícias da Argentina, Télam.

Fernández  disse que está “fisicamente bem” e que fez o teste depois de apresentar um quadro de 37,3 graus de febre e dor de cabeça.

“Embora estejamos aguardando a confirmação pelo teste de PCR, já estou isolado, cumprindo o protocolo em vigor e seguindo as orientações do meu médico pessoal”, acrescentou.

“Queria dizer que no final de hoje, depois de apresentar um registro de febre de 37,3 e uma leve dor de cabeça, fiz um exame de antígeno cujo resultado foi positivo”, disse o presidente.

Mas, segundo ele mesmo, está “fisicamente bem” e “de bom humor”, e agradeceu as “muitas demonstrações de carinho” que recebeu nesta sexta-feira, dia do seu aniversário.

“Embora eu tivesse gostado de terminar o meu aniversário sem esta notícia, também estou de bom humor. Agradeço de alma as muitas expressões de carinho que vocês me deram hoje, lembrando o meu nascimento”, disse ele.

Por fim, no tópico de mensagens que postou no Twitter alguns minutos depois da meia-noite, o presidente acrescentou: “Devemos estar muito vigilantes. Peço a todos que se preservem seguindo as recomendações atuais. É claro que a pandemia não passou e nós devemos continuar a cuidar de nós mesmos.”

 

Fernández havia recebido uma dose da vacina Sputnik V

Alberto Fernández havia recebido no dia 21 de janeiro a primeira dose da vacina Sputnik V.

Uma fonte oficial lembrou hoje que a eficácia das vacinas se mostrou elevada, a ponto de prevenir a infecção do coronavírus em percentuais que variam entre 70 e 90 %, dependendo da origem da vacina.

Mas a maior proteção que as vacinas oferecem, e o principal objetivo da campanha de imunização contra a Covid-19, é evitar complicações graves, hospitalização e mortalidade, acrescentou a fonte.

Diante do contágio, ele completou, as vacinas permitem um desenvolvimento leve a moderado da doença.

 

Centro russo deseja melhoras a presidente argentino vacinado com Sputnik V

 

O centro russo responsável pela criação da vacina Sputnik V lamentou hoje que o Presidente da Argentina, Alberto Fernández, vacinado com este medicamento, tenha dado positivo para a covid-19 e desejou-lhe uma recuperação rápida. As informações são da emissora portuguesa RTP.

“Estamos tristes com o sucedido. A `Sputnik V` é 91,6% eficaz contra infeções e 100% eficaz contra casos graves. Se a infeção for confirmada, a vacinação garante uma recuperação rápida sem sintomas graves”, escreveu o Centro Gamaleya de Microbiologia e Epidemiologia do Ministério da Saúde da Rússia na rede social Twitter.

“Desejamos uma recuperação rápida!”, acrescenta o Centro Gamaleya, na mesma mensagem, depois de Fernández ter anunciado o seu possível contágio.

 

Leia também: Covid-19: Paraná quebra a marca de 17 mil mortes e 850 mil contaminações

Previous ArticleNext Article