Profissionais de limpeza em hospitais têm prioridade na vacinação contra a covid-19 no PR

Redação

Oxford afirma que adiar 2ª dose não reduz eficácia de imunizante

Assim como os médicos, enfermeiros e técnicos, os profissionais de limpeza dos hospitais e postos de saúde também têm prioridade na vacinação contra a covid-19 no Paraná.

Em Curitiba, Thais Ribeiro Dessanti, que atua na limpeza do Hospital Vitória, foi uma das primeiras a receber a primeira dose da CoronaVac na última quarta-feita (20), em cerimônia que contou com a presença do prefeito Rafael Greca (DEM). Já em Cornélio Procópio, na região norte do Estado, a primeira vacinada foi a zeladora Eliane Junqueira, que trabalha na UAR (Unidade de Atendimento Respiratório)

Na vacinação simbólica do governo do Paraná, a representante do pessoal da limpeza foi Neura Cordeiro Barbosa, do Hospital do Trabalhador. Todos essas pessoas colaboram e atuam diretamente na linha de frente contra a covid-19.

Minha equipe ficou muito feliz porque achou que seria esquecida, que o setor de higienização seria o último a tomar a vacina. Mas recebemos esse convite e eu fiquei muito feliz por poder representar a nossa categoria”, afirmou ela.

LIMPEZA É ATIVIDADE ESSENCIAL

Logo no início da pandemia, o governo federal declarou a limpeza como serviço essencial, assim como é o trabalho de médicos, na luta contra a covid-19.

“Este é um movimento importante diante do atual cenário que estamos passando, dado que a limpeza profissional é essencial para eliminar focos de vírus, fungos, bactérias e outros micro-organismos que podem causar doenças tão graves quanto a Covid-19”, ressalta Cássia Almeida, superintendente executiva da Facop (Fundação de Asseio e Conservação, Serviços Especializados e Facilites).

Segundo ela, reconhecer a relevância desses profissionais e sua atuação nos mais diversos ambientes, inclusive no hospitalar, é uma forma valiosa de manter a sociedade mais protegida.

A capacitação de profissionais do setor é uma maneira eficaz de garantir que os trabalhadores da limpeza estejam devidamente preparados para enfrentar situações como a de uma pandemia. “Por meio dessa capacitação, é possível tornar os protocolos de limpeza mais assertivos e eficientes, de modo a proporcionar, de fato, avanços no combate a doenças causadas pelos mais diversos micro-organismos, além de garantir o bem estar proporcionado por um ambiente limpo e higienizado”, finaliza Cássia.

Conforme o último boletim, o Paraná 515.025 casos confirmados e 9.222 mortes por covid-19.

Previous ArticleNext Article