Ratinho Junior: Rússia vai enviar vacina para imunizar seus cidadãos no Brasil em outubro

Redação

ratinho junior rússia paraná vacina covid

O governador do Paraná, Ratinho Junior (PSD), disse que a Rússia vai enviar a vacina contra a covid-19 a seus cidadãos que vivem no Brasil em outubro deste ano. Na semana passada, o governo estadual firmou um convênio com o Instituto Gamaleya para a transferência da tecnologia que autoriza o Estado a testar, produzir e distribuir a vacina.

“Algo que me deixou esperançoso é que eu tenho uma vizinha russa, casada com brasileiro, que mora aqui há alguns anos. O governo russo já entrou em contato com ela dizendo que, a partir de outubro vão mandar vacina para ela e para todos os cidadãos russos que moram no Brasil. O governo russo não faria isso se a vacina não estivesse em um estágio bem avançado”, afirmou Ratinho Junior em entrevista à Rádio Bandeirantes nesta quarta-feira (19).

O processo da produção da vacina russa, chamada de Sputinik-5, depende agora da adaptação do processo à legislação brasileira, que necessita do acompanhamento da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Contudo, o governador do Paraná destacou que a expectativa de aprovação de todos os testes é para o primeiro semestre de 2021.

“A gente tem sido muito conservador nesses cronogramas. Agora vem o processo burocrático do acompanhamento da Anvisa, dos testes necessários e de toda a legislação brasileira, que é muito rígida, para que a gente possa ser uma alternativa. A Anvisa nos autorizando, a gente acredita que, no primeiro semestre do ano que vem, tendo todas as aprovações, a gente consiga colocar esse volume de vacinas à disposição do Ministério da Saúde”, completou Ratinho.

Conforme o último boletim, o Paraná registra 107.016 casos e 2.751 mortes por coronavírus. Já o Brasil registra 3.407.354 infectados e 109.888 óbitos. Os dados são da Secretaria de Estado e do Ministério da Saúde.

COM R$ 200 MILHÕES PARA VACINAS, PARANÁ FEZ ACORDOS COM RÚSSIA E CHINA

Além do convênio com os russos, o governo do Paraná também já firmou um acordo com a empresa Sinopharm, da China. Foi assinado um termo de cooperação técnica e científica para iniciar a testagem e a produção de vacina. Segundo o laboratório, todos os testes iniciais tiveram 100% de positivação e nenhuma reação adversa grave.

“Desde o início da pandemia, vimos como os laboratórios do mundo estão se comportando nessa área científica. A gente está torcendo muito para que o Butantan e Fiocruz possam avançar assim como os dois laboratórios que fizemos convênio”, revelou o governador.

A gestão Ratinho Junior sempre deixou claro a prioridade nos investimentos para a vacina. Tanto que a administração possui uma reserva de R$ 200 milhões para a compra do remédio para a covid-19. Metade do valor foi desembolsado pela Secretaria Estadual da Saúde (Sesa) e outra metade de um repasse dos cofres da Assembleia Legislativa do Paraná.

“Desde o início da pandemia, vimos como os laboratórios do mundo estão se comportando nessa área científica. E é importante registrar que tem um jogo geopolítico e econômico no processo, estamos falando de bilhões de dólares para quem conseguir achar a vacina o mais rápido possível”, finalizou Ratinho Junior.

Assista a íntegra da entrevista completa do governador Ratinho Junior ao apresentador José Datena.

Previous ArticleNext Article