Vacina da Pfizer chega em maio e aplicação será concentrada no Barigui, projeta SMS

Redação

vacinas da pfizer, vacina da pfizer, pfizer, biontech, vacina, covid, covid-19, coronavírus, curitiba, sms, secretaria municipal da saúde, barigui, entrevista, márcia huçulak

A cidade de Curitiba se candidatou para receber vacinas da Pfizer e a expectativa é a de que as primeiras doses cheguem à capital nas próximas semanas, segundo a projeção da Secretaria Municipal da Saúde.

Por se tratar de uma vacina de RNA mensageiro, uma tecnologia diferente dos imunizantes disponíveis no Brasil até o momento (CoronaVac e Oxford/AstraZenca), a forma de armazenamento impõe um desafios logísticos.

O principal deles é o armazenamento a baixíssimas temperaturas, entre -70°C e -80°C, muito abaixo do padrão dos refrigeradores mais comuns, que mantêm a temperatura entre 2°C e 8°C.

De acordo com a secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak, a cidade de Curitiba começou a se preparar para a vacina da Pfizer a partir das primeiras informações sobre a possibilidade de compra do imunizante, em 2020.

Em entrevista ao Paraná Portal, a chefe da pasta diz que o município não tinha refrigeradores deste porte, mas a solução pode estar nas universidades. A PUCPR e a Evangélica Mackenzie estão entre as instituições que têm freezers nos laboratórios.

“Várias universidades ofereceram para nós e, diante da possibilidade, nós nos preparamos para qualquer eventualidade. Então, já temos contratos de locação dos equipamentos”, explicou Márcia Huçulak.

Segundo a secretária municipal da Saúde, além do armazenamento em baixíssimas temperaturas, a vacina da Pfizer também exige outras adaptações para o manuseio adequado, incluindo diluentes próprios e seringas específicas.

“Cada frasco faz cinco doses e precisaremos de seringas de 1 ml. Depois que dilui, ela tem que ser aplicada muito rapidamente. Para evitar perdas, provavelmente aplicaremos elas no [Pavilhão do] Barigui”, explicou.

A Secretaria Municipal da Saúde projeta receber o primeiro lotes de vacinas da Pfizer até meados de maio. Até lá, as equipes devem passar por treinamentos internos e por uma especialização oferecida pelo Ministério da Saúde.

CURITIBA RETOMA 1ª DOSE DE VACINAS: 64 E 63 ANOS

Neste final de semana, com a chegada de novas doses de vacina contra a covid-19, a Secretaria Municipal da Saúde retomou a aplicação da 1ª dose e vai imunizar dois novos grupos.

Ontem (24), começaram a ser imunizados idosos com 64 anos completos. O sábado foi reservado para os nascidos no primeiro semestre. Hoje (25), é a vez daqueles que nasceram entre 1º de julho e 31 de dezembro.

Com as novas doses das vacinas de Oxford/AstraZeneca e CoronaVac, também será possível imunizar idosos com 63 anos completos. O calendário de aplicação de primeiras doses segue até terça-feira (27):

•    64 anos completos (1º de janeiro e 30 de junho): sábado, 24 de abril
•    64 anos completos (1º de julho e 31 de dezembro): domingo, 25 de abril
•    63 anos completos (1º de janeiro e 30 de junho): segunda-feira, 26 de abril
•    63 anos completos (1º de julho e 31 de dezembro): terça-feira, 27 de abril

As vacinas contra a covid-19, em Curitiba, são aplicadas em 18 pontos fixos e dois pontos drive-thru. Veja os endereços.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="759715" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]