Exercícios físicos melhoram a imunidade e podem atenuar sintomas da COVID-19

Unimed Curitiba – Conteúdo de Marca


Você sabia que, de acordo com dados revelados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), até 5 milhões de pessoas podem ir à óbito por ano devido a decorrências da falta de atividade física? Essa informação se torna ainda mais alarmante quando vemos que, segundo dados da mesma agência, um em cada quatro adultos e quatro em cada cinco adolescentes não praticam atividade física de forma adequada. Pensando nisso e para promover a mudança de hábitos para práticas cada vez mais saudáveis, na coluna de hoje, a Unimed Curitiba traz uma entrevista com o médico cooperado especialista em medicina do esporte, Dr. Marcelo Leitão. Leia e confira dicas para se exercitar de forma apropriada em meio à pandemia da COVID-19 e, de quebra, melhorar a sua qualidade de vida e a sua saúde física e mental.

Como os exercícios afetam o corpo e a mente

Que a prática de atividades físicas é importante e traz inúmeros benefícios não é novidade. Agora, você sabe como isso afeta diretamente todo o seu organismo? Segundo o especialista, a inatividade física, além de gerar complicações principalmente no aspecto cardiológico, pode afetar a saúde mental e abrir portas para doenças como depressão, ansiedade e mais. “É muito preocupante, pois todos já estamos passando por tempos incertos e inseguros. O sedentarismo pode agravar ainda mais o cenário clínico e se tornar uma questão séria para a saúde da mente do paciente”, afirma o médico cooperado da Unimed Curitiba. “E para a saúde física, a falta de exercício pode gerar, também, a perda do controle dos fatores metabólicos e cardiovasculares, trazendo à diversas complicações, algumas vezes crônicas”.

Como a prática pode melhorar o quadro de um paciente afetado pela COVID-19

Segundo estudos já publicados e de acordo com o especialista, pessoas que praticam atividades físicas regularmente tem o sistema imunológico mais bem desenvolvido e fortalecido, o que pode atenuar os sintomas que o paciente pode sentir ao contrair o coronavírus. “É claro que a prática não impede que a pessoa seja contaminada se ela for exposta ao vírus, mas, se ela eventualmente contrair a doença, os sintomas podem ser mais leves e a evolução pode ser menos grave do que em pessoas sedentárias”, comenta. Ou seja, além de melhorar a imunidade e trazer diversos benefícios para a saúde física e mental, a prática de atividades físicas pode melhorar o quadro de um infectado pela COVID-19.

Pratique em casa

A sua saúde e proteção são inegociáveis. Com a oscilação entre as bandeiras laranja e vermelha na cidade de Curitiba, a orientação do médico é clara: se puder, faça exercícios físicos dentro de casa ou no entorno da residência. Evite práticas conjuntas e parques lotados, mesmo que sejam ao ar livre. “Não importa o lugar, o que importa é se movimentar. É importante adquirir esse hábito o mais cedo possível, porque isso certamente trará benefícios em curto, médio e longo prazo”, finaliza Marcelo Leitão.

Na Unimed Curitiba, os beneficiários interessados em mudar hábitos para viver mais e melhor podem participar de um programa de promoção à saúde chamado Viva Leve. Se você é cliente, tem idade igual ou superior a 18 anos, tem IMC igual ou superior a 27,5 kg/m² e tem circunferência abdominal maior que 102 cm (para homens) ou maior que 88 cm (para mulheres), entre em contato pelo telefone (41) 3021-4735 ou pelo e-mail pse@unimedcuritiba.com.br e tome esse passo para mudar de vida.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="762649" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]