Meningite: a doença que acomete pessoas de qualquer idade e pode levar a óbito

Unimed Curitiba – Conteúdo de Marca


O medo de sair de casa e se infectar pelo coronavírus fez com que muitos pais evitassem levar seus filhos aos consultórios médicos e acompanhar a cartela de vacinação. Mas essa espera pode ser perigosa, afirmam especialistas. De acordo com uma pesquisa da farmacêutica GsK sobre a meningite, doença que pode acometer de crianças até idosos, metade dos entrevistados afirmam que não vacinaram seus filhos contra a meningite durante a pandemia, apesar de 96% dos pais acreditarem que essa vacina é importante. Para reforçar que a vacinação contra outras doenças é indispensável, mesmo em meio a pandemia, e trazer informações de relevância para os responsáveis em tempos tão incertos, a Unimed Curitiba entrevista o médico cooperado especialista em infectologia, Moacir Pires Ramos, que comenta sobre o que é a doença, os sintomas, como se prevenir e muito mais. Confira abaixo e boa leitura!

O que é a meningite e quem ela atinge

A meningite é uma doença inflamatória que afeta as meninges, membranas que envolvem a medula espinhal e o cérebro. A doença pode se encaixar entre bacteriana, fúngica ou viral e é perigosa e fatal. De acordo com o infectologista, “a meningite pode atacar pessoas de qualquer idade, de crianças até idosos, e provocar lesões mentais, motoras e auditivas. Se não for tratada, ela pode até mesmo levar o paciente a óbito”. Por isso, o acompanhamento com o médico especializado é muito importante, pois, quanto antes a doença for diagnosticada e o melhor tratamento for iniciado, maiores são as chances de reduzir os sintomas e controlar a evolução da meningite.

Os sintomas da doença

A meningite pode se mostrar de diferentes formas e diversas intensidades, dependendo de cada pessoa. “Sempre associados à febre, os principais sintomas são dor de cabeça intensa, dor na musculatura do pescoço e extrema dificuldade para levantar e abaixar a cabeça, náuseas e vômitos intensos, como em jatos, além de tontura” informa o médico cooperado da Unimed Curitiba. Ao sentir o primeiro sintoma, não hesite e procure por atendimento médico especializado.

Como se prevenir e a importância da vacinação

A vacina contra a meningite continua sendo a melhor forma de precaução, mesmo com a adoção dos cuidados diários. Por isso, é de extrema importância que os pais acompanhem a cartela de vacinação dos filhos, mesmo durante a pandemia, pois a saúde dos pequenos não pode esperar. Além disso, de acordo com o médico especializado em infectologia, “as melhores formas de prevenção contra a meningite são as mesmas que obtivemos nos cuidados contra o coronavírus e quaisquer outras viroses respiratórias e infecções bacterianas: fazer a higiene correta das mãos com água e sabão e, sempre que possível, utilizar álcool em gel, além de utilizar o antebraço com manga ao tossir ou espirrar, não tocar no nariz ou boca com as mãos não higienizadas e manter o distanciamento entre pessoas”, finaliza.

 

Para valorizar a especialidade de pediatria e incentivar o contínuo acompanhamento médico de crianças e adolescentes, inclusive durante a pandemia da COVID-19, a Unimed Curitiba lançou uma campanha especial de valorização a esses profissionais. Nas peças, a cooperativa ressalta a importância do cuidado com os pequenos para evitar, identificar e diagnosticar possíveis doenças de desenvolvimento de forma precoce, e garantir o melhor tratamento e a diminuir as chances de possíveis sequelas e danos físicos e psicológicos à criança. Clique aqui e confira.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="759608" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]