Uso excessivo de telas: uma nova epidemia

Unimed Curitiba – Conteúdo de Marca


Desde o início da pandemia do coronavírus, vivemos uma nova realidade muito mais virtual: reuniões de trabalho, aulas da escola e até encontros familiares e eventos sociais passaram a acontecer de forma remota, seja pelo computador, tablet ou celular. Mas você sabe quais são as consequências dessa exposição às telas? Especialistas são unanimes em dizer que o uso excessivo causa diversos malefícios à saúde. De acordo com a médica cooperada da Unimed Curitiba especialista em oftalmologia, Heloísa Helena Abil Russ Giacometti, o uso demasiado de telas por grandes períodos pode levar a diversas complicações, como miopia e astigmatismo, e deve ser um ponto de atenção para pessoas de todas as idades. Confira na coluna abaixo algumas dicas para evitar prejuízos à sua saúde ocular e o alerta da cooperada em relação às crianças e adolescentes.

Alerta para sintomas

“Os sintomas mais comuns são cansaço visual, dores de cabeça, embaçamento, olhos vermelhos, sensação de olhos secos e ressecamento. No sinal do primeiro sintoma, é importante entender que o corpo precisa de um descanso e não exceder os limites”, afirma a médica. Vale ressaltar que os sintomas podem ser variados e dependem do histórico clínico e organismo de cada paciente. Se você notar um aumento nos sintomas ou sentir dor intensa, não hesite e procure imediatamente por auxílio médico especializado.

Cuidados diários com a visão

Prevenir é melhor do que remediar. Não é preciso fazer muito para evitar problemas oculares, apenas seguir algumas dicas simples e práticas todos os dias, reforça a especialista em oftalmologia. “A cada 30 ou 40 minutos de atividades frente às telas, vá até sua janela ou sacada e olhe para o horizonte, aprecie a vista por alguns instantes. Olhe para pontos longes, mas também foque no que estiver ao seu redor, prestando atenção em cada detalhe”. Outra dica de ouro, principalmente para quem está trabalhando em casa, é sempre manter o computador na altura dos olhos ou um pouco abaixo, além de estar em uma posição confortável com luminosidade adequada.

Um alerta para crianças e adolescentes

Isso é ainda mais preocupante no caso dos menores, como crianças e adolescentes, que podem passar horas diante de telas sem questionar, principalmente ao ter a rotina de estudos online em casa. “Além de poder afetar a saúde mental, prejudica o sono e o desenvolvimento do pequeno e pode causar progressão precoce da miopia”, afirma a médica. Nesse momento, é importante que os pais limitem o tempo diário que a criança pode passar em contato com as telas. O recomendado pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) é que pequenos de até dois anos não sejam expostos às telas, enquanto crianças de dois a cinco anos podem até uma hora por dia. Já menores com idades entre seis e dez anos podem estar em contato com as telas de uma a duas horas por dia. É importante reforçar que, independentemente da idade, toda exposição deve ser supervisionada por um responsável.

Quer deixar seu home office ainda mais saudável?

No ano passado, a Unimed Curitiba publicou um informativo com dicas práticas que podem tornar a sua rotina em casa muito mais saudável. O material traz dicas de alongamento, culinária, cuidados com a saúde mental e muito mais. Clique aqui, leia e compartilhe com seus colegas e familiares!

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="764094" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]