Grande Curitiba e Litoral
Compartilhar

Casa Civil e Secretaria da Educação recebem sindicato dos professores

O chefe da Casa Civil, Valdir Rossoni, e a secretária de Estado da Educação, professora Ana Seres, receberam a direção d..

Fernando Garcel - 29 de abril de 2016, 14:02

O chefe da Casa Civil, Valdir Rossoni, e a secretária de Estado da Educação, professora Ana Seres, receberam a direção do sindicato que representa os professores da rede pública do Paraná (APP-Sindicato) na noite desta quinta-feira (28), no Palácio Iguaçu, para mais uma rodada de negociações em relação à pauta de reivindicações da categoria.

Na reunião, a principal reivindicação do sindicato foi a implantação de progressões e promoções na carreira de professores. O impacto financeiro total destas medidas passaria de R$ 345 milhões. “Solicitamos uma contraproposta mais viável ao sindicato. Desde a primeira reunião pedimos uma proposta mais viável. O governador tem todo o interesse em atender a educação da melhor maneira possível, mas, neste momento, não há sobras de caixa e trabalhamos com a realidade”, disse Rossoni. “Da parte do governo o diálogo continua”, destacou o chefe da Casa Civil.

A secretária Ana Seres lembrou que foi solicitado à Secretaria da Fazenda e à Secretaria da Administração um estudo para verificar quando será possível efetuar esses pagamentos. Ela também lembrou que a maior parte das reivindicações já foi atendida, como o aumento da hora-atividade, a abertura de nova turma do Programa de Desenvolvimento da Educação (PDE) este ano e o pagamento dos reajustes (3,4% em outubro de 2015 e 10,6% em janeiro). “Além disso, tramitam protocolos para abertura de concursos públicos para funcionários da educação”, frisou.

A secretária ressaltou que na segunda-feira (25), o governador Beto Richa nomeou mais 296 novos professores da rede pública estadual, remanescentes do concurso público realizado em 2013. Eles devem tomar posse nos dias 2 e 3 de maio. Também segundo o governo, o orçamento da Educação, que era de R$ 3,7 bilhões em 2010, deve ficar em torno de R$ 7,8 bilhões neste ano de 2016. Desde 2011, cerca de 23 mil profissionais da educação foram contratados (entre professores e servidores). O governo também ressaltou que, nos últimos anos, os professores receberam 82% de reajuste salarial. Em 2010, os docentes paranaenses em início de carreira, com 40 horas semanais, recebiam R$ 2 mil (salário mais auxílio-transporte). Hoje, o mesmo profissional recebe remuneração de R$ 3,6 mil, com auxílio- transporte. Ao final da carreira o salário do professor paranaense pode chegar a aproximadamente R$ 15 mil, somando todos os benefícios da carreira.

FALTAS

Durante a reunião, o chefe da Casa Civil reiterou que a determinação do governo estadual é descontar as faltas referentes à paralisação prevista para esta sexta-feira (29). O anúncio da decisão do governo já havia sido feito na quarta-feira (27).

PROTESTO

Os professores do Paraná devem paralisar as atividades nas escolas e universidades estaduais nesta sexta-feira (29), data em que o confronto entre policiais e professores no Centro Cívico, em Curitiba, completa um ano. Uma manifestação também está marcada nesta data na capital. O confronto aconteceu na Praça Nossa Senhora de Salete no dia 29 de abril de 2015 e deixou cerca de 200 pessoas feridas. A causa da confusão foi a votação, na Assembleia Legislativa do Paraná, de mudanças na Paranaprevidência.