Grande Curitiba e Litoral
Compartilhar

Contra Uber, taxistas fecham entrada de aeroporto em Curitiba

Duas situações envolvendo taxistas e motoristas do aplicativo Uber foram registradas pela Polícia Militar (PM) na noite ..

Andreza Rossini - 08 de dezembro de 2016, 14:41

Duas situações envolvendo taxistas e motoristas do aplicativo Uber foram registradas pela Polícia Militar (PM) na noite de quinta (7) e na madrugada desta sexta-feira (8), na rodoferroviária de Curitiba e no Aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais, região metropolitana da capital.

De acordo com a PM, vários policiais militares e guardas municipais foram acionados por volta das 21h30 na área de desembarque da rodoferroviária, devido a um princípio de confusão entre taxistas e motoristas do Uber. O caso seria uma tentativa de agressão ao motorista do aplicativo. Não há registro de pessoas feridas ou encaminhadas para a delegacia.

Em um protesto contra o aplicativo, os motoristas de táxi começaram um protesto bloqueando uma das entradas do Aeroporto Afonso Pena, a partir das 4h15 da madrugada de hoje. Segundo relatos das redes sociais, os passageiros precisaram deixar os veículos antes do bloqueio e caminhar até o aeroporto para não perder os voos.

De acordo com o fundador da União dos Taxistas de Curitiba (UTC), Nelson José Rocha da Silva, o protesto foi contra a decisão do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), de suspender a votação do projeto de lei nº 5587/2016. " É uma regulamentação do Uber que era para ser votada no dia 23 de novembro. O presidente da Câmara Federal pediu 30 dias para análise. A medida seria votada em urgência nos dias 06 e 07. O Uber não quer regulamentação porque não é legal para eles, porque tem ônus, cobra impostos. Ele simplesmente retirou o projeto de pauta e não votou um projeto afirmando que precisa estudar mais o Uber. A UTC não gosta muito desse tipo de atitude porque atrapalha a população, mas as vezes se faz necessário, devido a quantidade de impostos que são sonegados pelo aplicativo", afirmou em entrevista ao Paraná Portal.

 O Paraná Portal não conseguiu entrar em contato com o Sindicato dos Motoristas de Táxi do Paraná (Sinditáxi).

A Uber se manifestou por meio de nota. Veja na íntegra:

Leis que visam impor limites artificiais  ao direito de cada um de fazer uso da tecnologia para gerar renda vêm sendo consideradas inconstitucionais pelo Judiciário. Este é mais um Projeto de Lei que pode acabar com dezenas de milhares de oportunidades de geração de renda, além de acabar com a possibilidade das pessoas deixarem seus carros particulares em casa e compartilharem sua viagem. A Uber acredita que todo cidadão tem o direito de escolher como quer se movimentar pela cidade, assim como o direito de trabalhar honestamente.