Grande Curitiba e Litoral
Compartilhar

Curitiba e região têm greve parcial de ônibus nesta quarta-feira

Motoristas e cobradores de Curitiba e região metropolitana fazem uma greve parcial na manhã desta quarta-feira (21) após..

Mariana Ohde - 21 de dezembro de 2016, 07:52

Motoristas e cobradores de Curitiba e região metropolitana fazem uma greve parcial na manhã desta quarta-feira (21) após o atraso no pagamento da segunda parcela do 13º salário, que deveria ter sido depositada nesta terça-feira (20). Pelo menos três empresas não pagaram os valores devidos aos trabalhadores.

A paralisação segue por tempo indeterminado e é realizada pelos trabalhadores das empresas São José Filial, Tindiquera e Araucária Filial, que operam cerca de cem linhas na capital - principalmente sul e leste - e região metropolitana.

“A prefeitura de Curitiba informa que os ônibus da empresa São José Filial não saíram das garagens na manhã dessa quarta-feira (21) devido à manifestação de trabalhadores. Com isso, há prejuízo na operação de 27 linhas urbanas de Curitiba. A empresa Araucária Filial está operando com frota parcial também devido à manifestação de motoristas e cobradores. Houve atraso no início da manhã também na saída dos ônibus da empresa CCD, mas os veículos começaram a operar a partir das 6h. As demais empresas que operam o transporte coletivo de Curitiba não tiveram atrasos e operam normalmente" informou a prefeitura em nota.

Batalha dos repasses

Segundo o Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região (Setransp), a Urbs não repassou cerca de R$ 4 milhões devidos às empresas, que não puderam pagar os salários. Já a Urbs informou que deve regularizar os repasses em atraso ainda hoje.

O atraso teria acontecido por causa da falta de recursos em caixa causada pela queda nas vendas de crédito transporte "o que está diretamente ligado aos índices de desemprego".

"Outra importante questão que se reflete no fluxo de caixa é o prazo de cinco anos para validade dos créditos, medida adotada a partir de 2014. Com isso, ainda há passageiros utilizando passagens compradas a R$ 2,60, R$ 2,70", explica a Urbs.

Nota da Urbs:

"A Urbs deve iniciar nesta quarta-feira a regularização dos repasses de parcelas em atraso para as empresas operadoras do transporte coletivo pelos serviços prestados. O atraso ocorreu devido à falta de recursos em caixa, provocada pela redução nas vendas de crédito transporte, o que está diretamente ligado aos índices de desemprego.A empresa gestora do transporte coletivo de Curitiba reforça que já pagou às empresas cerca de R$ 20 milhões desde fevereiro na tarifa técnica especificamente para cobrir os custos do 13º salário.”

Nota do Setransp:

'O Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Setransp) tentou, por vários dias, alertar sobre as consequências dos atrasos nos repasses da Urbanização de Curitiba (Urbs). Lembrou que 12 mil motoristas e cobradores aguardam para hoje (20) o pagamento do vale e da segunda parcela do 13º salário, apelou para a importância do serviço de transporte para o comércio nesta época de compras de fim de ano e questionou o órgão gestor sobre o paradeiro dos recursos. Não adiantou. A Urbs e a Prefeitura de Curitiba, embora cientes há tempos do problema, não conseguiram resolver o chamado “nó do transporte”. Hoje, lembre-se novamente, dia do pagamento do vale e da segunda parcela do 13º salário, a Urbs deveria repassar R$ 4,6 milhões às empresas, mas só transferiu R$ 850 mil. O órgão gestor deve, portanto, R$ 3,8 milhões, referentes ao serviço já prestado nos dias 14, 15, 16, 17 e 18."