Grande Curitiba e Litoral
Compartilhar

Curitiba muda legislação para facilitar expansão do 4G

BandNews FM Curitiba O sistema de banda larga 4G deve ser expandido em breve na capital paranaense. Aguarda a sanção do ..

Redação - 15 de novembro de 2016, 09:43

BandNews FM Curitiba

O sistema de banda larga 4G deve ser expandido em breve na capital paranaense. Aguarda a sanção do prefeito Gustavo Fruet, o projeto que promove alterações na chamada Lei das Antenas do Município. As mudanças estão no licenciamento e implantação das estações transmissoras.

O objetivo da nova redação da lei é facilitar a instalação de infraestrutura de telefonia móvel. O diretor de infraestrutura do sindicato que representa as empresas de telefonia e serviço móvel (Sinditelebrasil), Ricardo Dieckmann, pontua que as mudanças na legislação vão além da possibilidade de novas linhas entrarem no mercado – desde que o nono dígito chegou a todo o país.

"O que mais cresce em questões de rede não é tanto a quantidade de usuários, mas os novos serviços. Os novos serviços demandam da instalação de antenas uma quantidade muito maior. Cada vez que você baixa um filme, por exemplo, é como se fosse 300 chamadas de voz. Então o serviço de dados é o que realmente demanda a instalação de mais e mais antenas", explica.

Ao longo da próxima década, o desafio do país também será o da chegada do sistema 5G – que permite o acesso a velocidades entre 10 e 50 gigabites por segundo.

Até lá, o 4G vai ocupar a faixa de 700 mega-hertz, que atualmente está à disposição do sinal analógico de televisão. Até 2018, esse sinal vai ser desligado e substituído pelo digital, que já opera em grande parte do país.

Hoje, o 4G usa a frequência de 2.600 mega-hertz, que apresenta deficiências técnicas – como os problemas do sinal para atravessar paredes e outros obstáculos, em consequência do comprimento da onda.

Na faixa usada pelo sinal analógico de TV, mais usuários devem ser beneficiados.

"Ainda temos uma segunda etapa do 4G, que é a implantação do centros mega-hertz. O 5G é algo que está lá fora ainda, que está sendo desenvolvido um padrão. Nós temos expectativa aqui no Brasil de que em mais ou menos 2024, 2025. Mas existe a nova frequência, que é essa de 700 mega-hertz, que está sendo implementado em todo o país. Estão sendo desligados os sistemas analógicos das TVs e essa frequência está sendo utilizada para prover o 4G. Então nós ainda temos uma etapa grande do 4G a vencer. E para isso vamos precisar fazer os necessários licenciamentos, tanto na Anatel, quanto nos municípios. E por isso é importante a nova legislação em Curitiba", defende.

A Lei Geral de Antenas foi aprovada pelo Congresso Nacional no ano passado. Em todo o país, existem mais de 300 municípios com legislação defasada.

A consultoria Teleco aponta Curitiba como a segunda capital brasileira do ranking que avalia restrições às instalações, burocracia, prazo e custos para implantação das estações rádio base e redes.