Grande Curitiba e Litoral
Compartilhar

Médicos do Trabalho chamam a atenção para a saúde mental

País em crise, economia em declínio, desemprego recorde, competitividade ao extremo. A pressão sobre o trabalhador no at..

Roger Pereira - 30 de abril de 2016, 16:50

País em crise, economia em declínio, desemprego recorde, competitividade ao extremo. A pressão sobre o trabalhador no atual cenário econômico brasileiro tem feito a Associação Paranaense de Medicina do Trabalho (APAMT) chamar a atenção da sociedade para os riscos à saúde mental do trabalhador.

“O foco de nossas ações neste ano é a saúde mental. É no trabalho que a pessoa coloca grande parte de seus sonhos e desejos. E um trabalho em situação que não é prazerosa, com um chefe que cobra errado, ou até a frustração de não se chegar onde se almejava na carreira gera, sim, problemas emocionais que podem evoluir para doenças como estresse ou depressão”, explica.

Ele explica que a cobrança excessiva, o ambiente carregado, a competitividade acima do aceitável, a rotina exaustiva e, até a ameaça do desemprego podem, além de causar as doenças mentais, ser a origem de acidentes de trabalho, “pela desatenção, pressa, imprudência, cansaço ou mesmo irritabilidade”, como, também, a de doenças musculoesqueléticas. “Fazendo um procedimento de forma errada, com a postura errada, ou até com a musculatura tensionada pela condição emocional, é muito mais fácil sofrer lesões”, diz.

Por isso, o médico destaca a importância de as empresas manterem, em seus quadros, profissionais como psicólogos e assistentes sociais em seus quadros. “A situação emocional e social do trabalhador influencia decisivamente em sua atuação, sua eficiência e sua produtividade, bem como na sua saúde. Então, precisamos dessa equipe multidisciplinar para dar a atenção necessária ao funcionário”.