Eleição de Christiane Yared volta a ser argumento da defesa de Carli Filho

Mariana Ohde


Por BandNews Curitiba

O número de votos que a deputada federal Christiane Yared (PR-PR) conseguiu para se eleger é um dos argumentos centrais da defesa do ex-deputado Luiz Fernando Ribas Carli Filho, que, na semana que vem, vai a júri popular em Curitiba.

Ele é acusado de matar dois jovens em um acidente de trânsito em 2009. Christiane Yared (PR-PR) é mãe de uma das vítimas: Gilmar Yared, que morreu no acidente aos 26 anos. A outra vítima foi Murilo de Almeida, de 20 anos.

Os advogados de Carli Filho ainda aguardam decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), na tentativa de suspender o júri popular. Um recurso foi levado à corte, depois que o Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou a transferência do julgamento para outra comarca.

No STF, o Habeas Corpus (HC) com pedido de liminar está nas mãos do ministro Gilmar Mendes. Os advogados de Carli Filho repetem argumentos que há haviam sido apresentados ao STJ.

Para a defesa, o júri popular não deveria ocorrer em Curitiba, pois “há fundadas dúvidas sobre a imparcialidade dos jurados e indicativos concretos de comoção social e intranquilidade local”.

Os advogados dizem ainda que a Carli Filho foi vítima de uma campanha negativa que conseguiu, inclusive, fazer de Christiane Yared a deputada federal mais votada do Paraná em 2014.

Carli Filho é acusado de duplo homicídio com dolo eventual, quando se assume o risco de matar. O acidente ocorreu no dia 7 de maio de 2009, no bairro Mossunguê. Uma perícia indicou que ele seguia a 167 km/h quando atingiu o veículo dos jovens, que morreram na hora.

Previous ArticleNext Article
Mariana Ohde
Repórter no Paraná Portal