Grande Curitiba e Litoral
Compartilhar

Alunos do maior colégio do PR voltam atrás e mantêm ocupação

Andreza Rossini e Julio Cesar LimaEstudantes do Colégio Estadual do Paraná (CEP) decidiram, neste sábado (29), manter pr..

Andreza Rossini - 29 de outubro de 2016, 16:14

Andreza Rossini e Julio Cesar Lima

Estudantes do Colégio Estadual do Paraná (CEP) decidiram, neste sábado (29), manter provisoriamente a ocupação da escola que é a maior do estado.

Eles devem ficar na instituição pelo menos até a manhã de domingo (30), quando os estudantes vão realizar uma assembleia para decidir os próximos passos do movimento.

"Nós decidimos resistir. Essa foi uma tentativa do estado de deslegitimar o movimento. Vamos continuar resistindo contra a PEC 241 e a reforma no ensino médio", afirmou um dos estudantes.

Os alunos resolveram, na noite de sexta-feira (28) recusar a proposta de acordo encaminhada pela Procuradoria-Geral do Estado, o Ministério Público Federal e  Defensoria Pública do Estado do Paraná para a desocupação pacífica de 24 das 25 escolas com ordem para reintegração de posse expedidas pela Justiça na noite de quinta-feira (27), permitindo-se a manutenção, por 10 dias, da ocupação justamente no Colégio Estadual do Paraná.

Um acordo foi firmado com o governo do estado para manter a ocupação no CEP pelos próximos nove dias.

Hoje (29) alunos realizam uma manifestação na rua. Os estudantes protestam contra a Proposta de Emenda a Constituição (PEC) 214 que limita os gastos públicos durante os próximos 20 anos e contra a reforma no ensino médio proposta pelo presidente Michel Temer.

Ocupações nas escolas

As ocupações começaram no início de outubro, em protesto contra a reforma do ensino médio, prevista pela Medida Provisória (MP) 746, e o estabelecimento de um teto para os gastos públicos pelos próximos 20 anos, previsto pela Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241.

Na noite de quinta-feira (27) a Justiça expediu um mandado de reintegração de posse para 25 escolas de Curitiba. Oficiais de justiça cumpriram os mandados e os estudantes conseguiram um acordo junto ao Ministério Público para manter a ocupação no Colégio Estadual do Paraná, que é o maior do estado.