Empresário de Curitiba abre restaurante e descumpre decreto: “Tragam o prefeito”

Martha Feldens

beto madalosso empresário curitiba decreto bandeira vermelha

O empresário Beto Madalosso, dono do Carlo Ristorante, em Curitiba, provocou polêmica nas redes sociais neste domingo (30) ao protestar contra a falta de apoio ao setor, um dos mais prejudicados pelas medidas restritivas para o combate à covid-19. Ele divulgou que ficará com o estabelecimento funcionando com atendimento presencial hoje, o que desrespeita o decreto da bandeira vermelha, e quer conversar com o prefeito Rafael Greca.

“Estamos atendendo normalmente, descumprindo o decreto. Enquanto houver ônibus circulando, meu restaurante permanecerá aberto. Venha fiscalização, venha Aifu, tragam o prefeito. Quero falar com ele pessoalmente”, disse Madalosso em uma das postagens no seu perfil pessoal do Instagram.

Porém, segundo o empresário, a intenção dele foi gerar debate sobre a atual bandeira vermelha. Vale lembrar que o sistema de bandeiras da SMS (Secretaria Municipal da Saúde) segue nove indicadores sobre a propagação do vírus e a capacidade de atendimento do sistema de Saúde. Conforme o último boletim municipal, não há mais leitos de UTI disponíveis na cidade.

“Eu tenho me posicionado sobre a necessidade de um subsídio para manter nossos negócios. Mas não aconteceu nada. Resolvi mudar o discurso, fazer uma insurgência. Queria gerar o debate e chamar a atenção da prefeitura”, completa Madalosso ao Paraná Portal.

Como tem mais de 51 mil seguidores, Madalosso disse que achou melhor ir até o restaurante para o caso de alguém aparecer para fazer a refeição presencialmente.

“O restaurante está funcionando, porque temos o delivery. Então, acabamos recebendo oito pessoas em três mesas. Mas amanhã mesmo voltamos ao decreto. Nunca foi a intenção descumprir o decreto. Eu sei que os decretos salvam vidas”, aponta o empresário de Curitiba.

restaurante atende clientes mesmo com decreto de bandeira vermelha

Conforme o atual decreto da prefeitura de Curitiba, restaurantes só podem atuar na modalidade de delivery, drive thru ou retirada no balcão.

“BOLSONARO É O RESPONSÁVEL”: EMPRESÁRIO BETO MADALOSSO É CONTRA O DISCURSO NEGACIONISTA

Ao Paraná Portal, o empresário de Curitiba admite um dos efeitos da sua publicação é dar munição para discursos negacionistas.

“Longe de mim, eu sei quanto a situação da pandemia é ruim. Eu fui convidado para participar de um movimento chamado ‘Curitiba não pode parar’. Mas eu sei que isso leva a um discurso negacionista. Não é o que eu acredito”, explicou.

Segundo Madalosso, há um grande culpado pela grave situação de alguns setores da economia no país, entre eles o dos restaurantes: o presidente Jair Bolsonaro.

“Ele não foi capaz de articular ações com os estados e municípios para ajudar economicamente os empreendedores mais atingidos pela crise”, opina.

Assim, ele cobra linhas de crédito e opções de subsídio para que as empresas do setor de restaurante possam manter seus negócios nesta fase. Restaurantes como o Carlo Ristorante, por exemplo, foram idealizados para servir as refeições no local e, embora façam agora esse atendimento por delivery, não conseguem obter o mesmo desempenho de outros, que já foram criados com essa perspectiva.

Restaurante abre na bandeira vermelha
Reprodução Instagram

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="767296" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]