Ministério Público pede suspensão das obras na Praça no Japão

Fernando Garcel


Francielly Azevedo | CBN Curitiba

O Ministério Público do Paraná entrou com um pedido para suspender as obras na Praça do Japão. Na última segunda-feira (26), a prefeitura iniciou as obras para implantação do Ligeirão Eixo Norte-Sul no local. O pedido foi ajuizado pela Promotoria de Justiça de Habitação e Urbanismo.

Ligeirão da Praça do Japão começa a ser implantado no final de março
Moradores darão abraço simbólico na Praça do Japão contra obras

A promotora Aline Bilek Bahr disse que faltou comunicação por parte da prefeitura antes de iniciar as obras. “Era necessário ter uma divulgação maior, além da necessidade de se fazer audiências públicas para ouvir a população, que é a mais interessada no assunto”, explicou.

Os moradores do entorno da Praça do Japão são contrários a abertura de um caminho na calçada para que os ônibus passem por ali. Eles reclamam da falta de diálogo com a prefeitura. A promotora também disse que o MP-PR recebeu os projetos da obra em cima da hora. “A obra começou em fevereiro e recebemos os projetos em fevereiro. É preciso, pelo menos, um tempo hábil para analisar a proposta que mexe com a cidade”, ressaltou.

A prefeitura já disse que a abertura é temporária, até o desalinhamento das estações-tubo do eixo sul, entre a Praça do Japão e o terminal do Capão Raso. Dessa maneira, com conclusão do ligeirão norte-sul a rua seria fechada novamente.

São 25 novos ônibus que devem começar a circular no aniversário da cidade, no próximo dia 29 de março. Segundo o prefeito Rafael Greca, todos os veículos estarão equipados com câmeras de monitoramento. A nova linha vai ligar, em um primeiro momento, o terminal do Santa Cândida até a estação Bento Viana. Mais tarde, com o desalinhamento previsto das estações-tubo o projeto ligará o Santa Cândida ao Capão Raso.

A prefeitura afirma que o ligeirão Norte-Sul deve reduzir de 40 para 15 minutos a viagem entre o terminal do Santa Cândida e a estação tubo Bento Viana. A estimativa é que a nova linha beneficie cerca de 36 mil passageiros. As obras continuam até que o judiciário delibere sobre o pedido. A sugestão do MP é uma multa diária de R$ 100 mil caso a prefeitura descumpra a decisão.

Em nota, a prefeitura afirmou que as obras continuam até que o judiciário delibere sobre o pedido. A sugestão do MP é uma multa diária de R$ 100 mil caso a prefeitura descumpra a suspensão. Em nota, a Prefeitura afirmou que atendeu ao pedido de informações do Ministério Público dentro do prazo com o envio do projeto das correções geométricas no sistema viário necessárias ao funcionamento da primeira fase da Linha Direta Norte-Sul desde o Santa Cândida a Praça do Japão. “Em relação à Ação Civil Pública, a Prefeitura irá comprovar em juízo que o conjunto das ações realizadas no entorno da Praça cumpre todas as exigências legais e tem por objetivo o atendimento a um grande contingente de usuários do transporte público”.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="484113" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]