camara municipal
Compartilhar

Motoristas e cobradores param por uma hora em protesto por mais segurança

Francielly Azevedo e Fernando GarcelMotoristas e cobradores do transporte público de Curitiba paralisaram as atividades ..

Fernando Garcel - 24 de julho de 2017, 15:27

Francielly Azevedo e Fernando Garcel

Motoristas e cobradores do transporte público de Curitiba paralisaram as atividades na tarde desta segunda-feira (24) em protesto pela morte de um trabalhador da categoria, no sábado (22), durante um arrastão em Colombo, Região Metropolitana de Curitiba (RMC). Mais de 30 ônibus estão parados na Praça Rui Barbosa, no Centro da capital. A manifestação começou às 15 horas e deve durar apenas uma hora. Acompanhe ao vivo pelo Facebook.

> Trabalhadores do transporte protestam em Curitiba após morte de motorista

"O coração de todos os trabalhadores está partido. Perder um companheiro numa situação dessa é muito delicada e triste. Ir trabalhar sem saber se vamos voltar pra casa", disse. "Nossa busca, através do sindicato é buscar a seguranças desses operadores", declarou o presidente do Sindimoc, Anderson Teixeira.

Segundo ele, o pedido de monitoramento por câmeras nos coletivos é fruto do aumento da insegurança para trabalhadores e usuários do transporte. “Com o efetivo que temos na Polícia Militar, apesar de toda a boa vontade e profissionalismo da instituição, é humanamente impossível coibir a gigante onda de criminalidade que vem assombrando Curitiba e Região Metropolitana. Por isso, o Sindimoc reitera a necessidade de instalação de câmeras de monitoramento”, reclamou Teixeira.

A lei que estabelece a instalação de câmeras em ônibus e o monitoramento das imagens não é cumprida. As empresas alegam que a instalação não estava no contrato inicial. Já a Prefeitura afirma que segurança é responsabilidade do Estado. Em algumas horas, representantes da segurança pública estadual, a prefeitura e representantes da categoria vão se reunir para discutir sobre a insegurança do transporte coletivo da capital.

"A pergunta que eu vou fazer é 'qual o preço de uma vida?'. Eu acho que não dá pra ficar nessa. Estamos falando de vidas da nossa sociedade... Do cidadão curitibano e do paranaense. Isso não pode ser um empecilho para a instalação de câmeras nos ônibus. Temos que ter um somatório de forças por parte do Governo, por parte da Prefeitura e por parte do Setransp ".

O crime

De acordo com o Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc), quatro criminosos invadiram o veículo, levaram pertences dos passageiros e atiraram no motorista apesar dele não ter reagido ao assalto.

Edmilton José de Melo, 45 anos, atuava na Viação Castelo Branco, era casado e deixou dois filhos. O trabalhador foi sepultado neste domingo em Bocaiúva do Sul, onde ele morava.

O grupo que cometeu o crime – sendo três homens e uma mulher, segue foragido. O Sindimoc promete oferecer recompensa em dinheiro para quem fornecer informações que levem à prisão dos criminosos.

4c6710c8-99d4-44e0-b11a-c441fb74d50c“O que está acontecendo é um absurdo, colocando um milhão e meio de usuários e 12 mil motoristas e cobradores em situação de terror diariamente”, diz Teixeira.

Lei que obriga instalação de câmeras em ônibus de Curitiba não é cumprida

Investigação

A Polícia Civil instaurou um inquérito para investigar o caso e ouviu testemunhas. Os criminosos fugiram pela vila Zumbi, segundo relatos das vítimas assaltadas. Por causa do homicídio o Sindicato que representa motoristas e cobradores organizou uma manifestação pedindo instalação de câmeras de segurança no interior de todos os ônibus que operam em Curitiba e RMC.

Em novembro de 2015, o Sindimoc já tinha realizado um ato pedindo mais segurança, paralisando o transporte coletivo por uma hora em Curitiba.

Em nota, o Setransp (sindicato que representa as empresas de ônibus), informou que lamenta a morte do colaborador da Viação Castelo Branco e que irá acompanhar as investigações. O Setransp informa ainda que diante desta ocorrência voltará a pedir a ação dos órgãos competentes para garantir mais segurança no transporte coletivo.

Em nota enviada pela assessoria de imprensa, a Prefeitura diz que a Urbs já conta com mais de 500 câmeras nas estações tubo e terminais de ônibus. Além disso, nessa gestão foi criada a Patrulha do Transporte.

No entanto a prefeitura diz que novos investimentos dependem de recursos que não estão previstos no valor atual da tarifa, e que a morte do motorista de 45 anos no sábado ocorreu em Colombo e não na capital paranaense.