camara municipal
Compartilhar

Após protesto, Comec vai estudar câmeras nos ônibus

Do Metro CuritibaA Comec (Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba) informou na noite de segunda-feira (24) que v..

Andreza Rossini - 25 de julho de 2017, 09:40

Do Metro Curitiba

A Comec (Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba) informou na noite de segunda-feira (24) que vai estudar, até a semana que vem, a viabilidade de instalar um sistema de monitoramento por câmeras dentro dos ônibus do transporte coletivo da capital e região.

A promessa foi feita após uma paralisação parcial dos ônibus por uma hora ontem à tarde, na Praça Rui Barbosa. Era um protesto pela morte do motorista Edmilton José de Melo, de 45 anos, assassinado com um tiro no peito durante um arrastão a um ônibus em Colombo, na região metropolitana, na noite do último sábado.

Em resposta ao ato do Sindimoc (Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana), autoridades do transporte e da segurança pública criaram ontem o “Comitê Permanente de Segurança do Transporte Coletivo”, um colegiado que buscará reduzir a violência contra trabalhadores e usuários do sistema.

Segundo o presidente da Comec, Omar Akel, a possível implantação de câmeras nos ônibus foi uma das medidas discutidas. “A Comec vai estudar se é exequível financeiramente, se tem como reformular o orçamento para encaixar esse custo.

Vamos passar uma posição para o sindicato na próxima reunião, na semana que vem”, afirmou Akel. Conscientização Além desta medida, segundo a Comec, foi discutida a criação de cursos de capacitação dos motoristas e cobradores “para enfrentamento de situações de risco”.

Também deverá ser lançada uma campanha de conscientização para que usuários e funcionários do transporte façam BO's (Boletins de Ocorrência) de crimes de que forem vítimas, mesmo que insignificantes. “Às vezes a pessoa não se dá ao trabalho de ir à delegacia por um assalto de 10 ou 20 reais. Mas para nós é importante porque esses dados orientam o planejamento de segurança”, pede Akel.

O assassinato de Edmilton Melo está sendo investigado pela delegacia do Alto Maracanã, em Colombo. Até ontem, a polícia ainda não havia identificado os quatro assaltantes que, segundo testemunhas, invadiram o coletivo e mataram o trabalhador.