CoronaVac: Vacina contra a covid-19 tem eficácia global de 50,4%

Vinicius Cordeiro

coronavac vacina covid-19 eficácia butantan

A CoronaVac, vacina contra covid-19 desenvolvida pelo Instituto Butantan e pelo laboratório Sinovac, tem eficácia global de 50,38%. O dado consta no pedido de uso emergencial feito à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância) e foi apresentado em coletiva organizada pelo governo de São Paulo.

Isso significa que mais da metade dos vacinados não terão covid-19. Além disso, os dados secundários, divulgados na semana passada (de 78% de eficácia para casos leves e 100% em casos moderados e graves) ainda valem. Isso significa que o imunizante evita mortes e complicações severas da doença para quem contraiu o vírus mesmo com a vacina.

AO VIVO: ASSISTA A APRESENTAÇÃO DOS DADOS DA CORONAVAC

O Instituto Butantan apresenta detalhes da vacina contra covid-19.

A eficácia de 50,38% do resultado geral da CoronaVac é menor do que em outras vacinas. A vacina da Pfizer/BioNTech, por exemplo, tem taxa de eficácia de 95%, mas também tenta a aprovação emergencial na Anvisa. O imunizante já está sendo aplicado no Reino Unido, Estados Unidos e Canadá, entre outros.

QUALQUER VACINA PRECISA DE PELO MENOS 50% DE EFICÁCIA

No dia 4, o Butantan divulgou que a vacina CoronaVac tinha eficácia de 78% em casos leves da doença e 100% para casos moderados ou graves. Contudo, esses dados são secundários por se tratarem de grupos específicos, não de todos os voluntários do estudo. Ou seja, a taxa de eficácia global da vacina foi divulgada hoje e é de 50,4%.

Para ser recomendada pela OMS (Organização Mundial da Saúde) e ser aprovada na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), uma vacina contra a covid-19 deve ter eficiência mínima de 50%. Ou seja, em tese, a CoronaVac deverá ser regulamentada.

O Butantan afirma que não há registro de qualquer efeito adverso grave.

Além do Brasil, a CoronaVac também é testada na Turquia, na Indonésia (onde já teve a liberação em uso emergencial) e no Chile, onde os testes da fase 3 estão em andamento.

O diretor do Butantan, Dimas Covas, fez um apelo para que o governo federal e a Anvisa não criem maiores problemas e ressaltou que a vacina precisa chegar nos braços de todos os brasileiros. “É uma excelente vacina disponível e esperando para ser usada em um país que morrem cerca de mil pessoas por dia. Esperamos que as autoridades e agências regulatórias entendam o momento e ajudem as vacinas a serem usadas”, afirmou ele.

Apesar disso, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, já afirmou que a Coronavac está inclusa no PNI (Programa Nacional de Imunização). Isso significa que 46 milhões de doses já encomendadas da China serão distribuídas aos Estados.

Vale lembrar que a vacina é um trunfo de João Doria (PSDB), atual governador de São Paulo, na eventual disputa presidencial contra Jair Bolsonaro (sem partido) em 2022.

Conforme os dados do consórcio de imprensa, que obtém os dados das secretarias estaduais, o Brasil acumula 203.735 mortes e 8.146.823 infectados por covid-19.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="738697" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]