“Estamos no fio da navalha”, alerta Beto Preto sobre a Covid -19

Pedro Ribeiro


No Paraná, pico da doença será no final de maio e início de junho, com o aumento do frio e chuvas. Hoje foram confirmados 46 casos e uma morte pela Covid-19 de residentes no Estado. O Paraná tem ao todo 1.492 casos já confirmados, sendo que 90 morreram em decorrência do coronavírus.

“Estamos no fio da navalha. Não temos remédio efetivo, farmacológico, não medicamentoso para combater a Covid-19. Portanto, só temos três saídas: o isolamento familiar, distanciamento social e a higiene. Estes são os melhores remédios, porém, com efeitos colaterais nocivos à economia do Estado e do país”.

Esta é a posição, hoje, do secretário da Saúde, Beto Preto, em relação à pandemia do coronavírus que vem dizimando grande número de pessoas no mundo, servindo, também, como um alerta sobre a necessidade de se investir em políticas públicas na área da saúde e saneamento básico.

Beto Preto não está confortável. Pelo contrário, muito preocupado, disse em entrevista ao Paraná Portal neste sábado (2) quando explicou o que quer dizer com “fio da navalha”. Segundo ele, ainda não “chegamos no pico da doença que deve acontecer no final de maio e início de junho, quando nós, aqui do Sul, teremos que conviver com o inverno, o que deverá aumentar o número de casos e, lamentavelmente, de óbitos”.

INVERNO PREOCUPA

Ao manifestar sua preocupação com a chegada do inverno que é mais rigoroso no Sul do país, o secretário chega a prever uma explosão de casos e insiste em reforçar o isolamento familiar e o distanciamento social, como formas de prevenir o pior.

“Estamos na curva ascendente e ainda não chegamos no pico, que terá seu patamar com o frio e chuva. Depois haverá estabilização. Não há zona de conforto em nenhum município, porque a maioria deles vem experimentando, também, doenças como a dengue que fragiliza as pessoas podendo, em muitos casos, levar à morte. Ninguém fica confortável até que se descarte o positivo para Covid-19”, observa Beto Preto.

O Paraná é o Estado que mais aplica testes para identificar a Covid-19, afirma Beto Preto que, ao lado de sua equipe, monitora casos e suspeitos todos os dias.

TRABALHO INTEGRADO

O fato de ser médico de profissão, com importante experiência em gestão no Ministério da Saúde e enquanto prefeito de Apucarana, Beto Preto trouxe a boa receptividade das entidades de classe. Contudo, com sua aproximação já no início da gestão na área estadual da saúde, contando para isso com aval irrestrito do governador, Ratinho Junior, estabeleceu importante canal com o Conselho Regional de Medicina, Associação Médica do Paraná e as sociedades de especialidade.

Essa interatividade de reforço, com as instituições sendo ouvidas em iniciativas e decisões inerentes à saúde pública, em especial neste momento de pandemia do coronavírus, só contribuiu para que o Estado esteja na posição de décimo quarto do país e um dos que mais faz testes para identificar resultados na população.

As entidades estão presentes no comitê de gerenciamento de crise e a Secretaria Estadual de Saúde tem sido receptiva às ideias que tragam melhorias ou instrumentos facilitadores na assistência à população, como o endosso para validação de receitas e atestados médicos e também parceria para arregimentar médicos no enfrentamento da doença

AÇÕES DO GOVERNO (AEN)

Segundo informações da Agência Estadual de Notícias, os últimos 15 dias foram marcados por novas decisões importantes do Governo do Estado para o combate ao coronavírus. Duas leis assinadas pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior impõem obrigatoriedade ao uso de máscaras em locais públicos e impedem o corte de fornecimento de luz, água e gás para as famílias mais humildes. Um novo decreto também instituiu que a Secretaria de Estado da Saúde é o foro responsável pela regulamentação do retorno das atividades econômicas.

Na área da saúde, foi criada a Unidade de Apoio para Diagnóstico da Covid-19 (parceria entre Lacen, IBMP, Fiocruz e Tecpar) e ampliada a capacidade de testes RT-PCR na rede estadual para 830%. Os quatro hospitais universitários (Ponta Grossa, Maringá, Londrina e Cascavel) ganharam novos leitos de UTI e de enfermaria. Com o aumento de testes, inclusive os rápidos, a tendência é de aumento no número de casos no Paraná, mas de diminuição da taxa de mortalidade da doença e maior controle sobre a circulação do vírus.

Na seara econômica, foi instituído um Grupo de Trabalho para Coordenação de Ações Estruturantes e Estratégicas para Recuperação, Crescimento e Desenvolvimento do Estado do Paraná para analisar as ações pós-pandemia. Entre as iniciativas já mapeadas estão o selo “made in Paraná”, estímulo aos Arranjos Produtivos Locais (APLs) e incentivo à geração de emprego a partir da execução de obras públicas e privadas.

MEDIDAS DO GOVERNO

Uso de máscaras – O governador Ratinho Junior sancionou a lei que torna obrigatório o uso de máscara em ambientes coletivos em todo o Paraná. O texto determina que a população use máscaras de tecido em espaços abertos ao público ou de uso coletivo, como ruas, parques e praças, estabelecimentos comerciais, industriais e bancários, repartições públicas, assim como no transporte público de passageiros (ônibus, trens, aviões, táxis e aplicativos de transporte) e onde houver aglomeração. Há multas por descumprimento.

A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, a Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes) e a Universidade Federal do Paraná e Universidade Tecnológica Federal do Paraná criaram cartazes para orientar a população sobre como utilizar, descartar e até mesmo produzir equipamentos de proteção individual (EPI), inclusive máscaras, durante a pandemia do coronavírus.

Saúde em 1º lugar

O governador determinou que a retomada de serviços considerados não essenciais deverá passar pela validação da Secretaria de Estado da Saúde. A pasta vai editar um ato normativo próprio estabelecendo procedimentos para a regulamentação da volta dos serviços. O mesmo vale para serviços essenciais, que serão alvo de metodologias próprias.

Bolsistas em ação

Os 660 bolsistas contratados pelo Governo do Estado já estão ajudando a mudar o comportamento da população. Eles atuam diretamente com informação e orientações que contribuem para ampliar o número de pessoas que adere ao uso de máscaras e do álcool gel, além de evitar aglomerações. São médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, estudantes de saúde e de outras áreas que atuam em Unidades de Saúde e hospitais, nas divisas do Estado, serviço de teleatendimento, no Laboratório Central do Estado (Lacen), no Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS) e no Departamento Penitenciário.

O Governo do Estado lançou outro edital para médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e estudantes da área da saúde que queiram atuar como bolsistas em ações de prevenção e combate ao coronavírus. São ofertadas vagas para atuar em 31 cidades do Paraná.

Telemedicina

O Telemedicina Paraná já completou 2.395 atendimentos. O programa auxilia nas medidas de enfrentamento e prevenção à Covid-19. Lançado há duas semanas, o serviço de atendimento de saúde online pode ser acessado de qualquer localidade paranaense pelo site ou pelo aplicativo Telemedicina Paraná, disponível para os sistemas Android e IOS.

Eventos cancelados

O Governo do Estado alterou o calendário dos Jogos Oficiais do Paraná em 2020. A readequação foi feita pela Superintendência Geral do Esporte. Foram cancelados os Jogos Escolares do Paraná (JEPS); Jogos Escolares Bom de Bola; Jogos Abertos do Paraná (JAPS); Jogos da Juventude do Paraná (JOJUPS) – fases regionais e a fase final B; e os Jogos de Aventura e Natureza – outras duas etapas em 2020.

Proteção das crianças e das mulheres

A Secretaria de Estado da Justiça, Família e Trabalho lançou um guia digital com orientações e cuidados para proteger crianças e adolescentes durante de pandemia. O material aborda questões comportamentais e de higiene, e mostra como reconhecer sinais de violência doméstica e denunciá-las. O conteúdo elaborado pelo Departamento de Políticas para a Criança e o Adolescente será enviado para toda a rede de proteção e estará disponível no site da secretaria.

O Governo do Estado também realizou a primeira blitz educativa e orientativa em condomínios para abordar a violência doméstica e a importância de notificá-la. A ação é respaldada pela Lei Estadual 20.145/2020, que obriga condomínios residenciais e comerciais a comunicar os órgãos de segurança pública sempre que houver indícios de violência doméstica e familiar.

Tecnologia contra a Covid-19

Cinquenta startups já foram selecionadas para participar do programa Startup Evolution, que prestará consultorias para as pequenas empresas afetadas pela crise do novo coronavírus. A iniciativa é da Superintendência Geral de Inovação, da Hotmilk, ecossistema de inovação da PUCPR e do Sebrae-PR. Cerca de 350 empresas se inscreveram no programa.

O Governo do Estado e o Senai Paraná vão investir R$ 1,4 milhão nos próximos meses em um edital de chamamento público para ajudar startups e empresas mais consolidadas a desenvolverem iniciativas de enfrentamento ao novo coronavírus. O objetivo é acelerar ideias e soluções que já estão ambientadas em teste para ajudar a sociedade diante da pandemia e da crise econômica decorrente dela.

O Hack pelo Futuro, iniciativa do Governo do Paraná para encontrar ideias que podem ajudar o Estado a minimizar os impactos da pandemia do novo coronavírus no curto, médio e longo prazos, recebeu na sexta-feira (1º) os resultados das soluções criadas nas áreas da saúde, economia, cultura e sociedade. Ao longo da última semana, os grupos participantes puderam acompanhar transmissões online com apresentação de conteúdos técnicos para terem mais embasamento. As três melhores soluções ganharão a oportunidade de alavancar seus projetos no Programa de Aceleração do Founder Institute Brazil.

Mais viaturas

A estrutura da segurança pública do Paraná recebeu 119 novas viaturas. Os veículos serão destinados à Polícia Militar (76), à Polícia Civil (36) e ao Corpo de Bombeiros (7). Eles vão atender diversas regiões do Estado, reforçando o patrulhamento das cidades, os trabalhos de investigação, além de controle a incêndios durante a estiagem e o combate contra o novo coronavírus.

Novos escudos faciais

A Penitenciária Estadual de Londrina I vai produzir 4 mil face shields (escudos faciais ou máscaras de acetato) para o Hospital Universitário da cidade e outras unidades de saúde. Mais da metade da produção, cerca de 2,5 mil itens, já foi finalizada.

Desinfecção estratégica

A Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) intensificou o trabalho de desinfecção dos locais de maior risco de contágio do novo coronavírus. Além de limpar o entorno de hospitais e unidades de saúde, iniciou a limpeza da região próxima a asilos e instituições que cuidam de idosos no Estado. Cerca de sessenta locais devem passar pelo processo.

Terceiro kit-merenda

Nos últimos 15 dias ocorreu a terceira etapa da entrega dos kits de merenda para alunos beneficiários do Bolsa Família e em situação de vulnerabilidade. Atualmente, são cerca de 230 mil alunos com famílias inscritas no programa no Estado. A ação será válida enquanto perdurar a crise do coronavírus.

Testes

O Paraná vai ampliar a capacidade de realização de testes para diagnósticos em 830%. Parceria entre o Lacen, o Tecpar e o Instituto de Biologia Molecular do Paraná (IBMP) fará com que o número de testes diários no Paraná salte dos atuais 600 para até 5.600, englobando, também, testes para os outros estados da região Sul. A previsão é que a operação entre em funcionamento na segunda quinzena de maio. A Unidade de Apoio para Diagnóstico da Covid-19 foi implementada na semana passada.

Metodologias

A partir do final de abril, a Secretaria da Saúde do Paraná passou a utilizar também o critério clínico/epidemiológico para confirmação da Covid-19 no boletim epidemiológico. Até então a doença era confirmada apenas por exame laboratorial e testes rápidos. Para a confirmação por esse critério, a pessoa deve ter tido contato próximo ou domiciliar com caso confirmado laboratorialmente nos últimos sete dias, antes do aparecimento dos sintomas.

Novos leitos nos HUs

Foi liberada a contratação de 108 novos leitospara o Hospital Universitário de Maringá. O investimento é de R$ 15,3 milhões, sendo R$ 7,8 milhões para custeio para os próximos seis meses e R$ 7,5 milhões em equipamentos, mobília e insumos médicos. O espaço utilizado para tratamento exclusivo de pacientes da Covid-19 durante a pandemia será a ala da clínica para adultos do HU.

A ampliação para o Hospital Universitário da Universidade Estadual de Londrina (HU-UEL) será de 214 novos leitos de UTI e de enfermaria. O investimento é de R$ 3 milhões em equipamentos e mais o montante de R$ 21 milhões para custeio para os próximos seis meses.
O Hospital Universitário do Oeste do Paraná, em Cascavel, ganhou reforço de 30 UTIs e 32 enfermarias. O governador assinou o repasse de R$ 8,4 milhões para a ampliação dos leitos, e mais R$ 2 milhões para a compra de equipamentos que darão suporte ao atendimento nestes leitos.

Para o Hospital Regional Universitário dos Campos Gerais, em Ponta Grossa, o repasse foi de mais de R$ 28 milhões. As verbas serão destinadas à ampliação da capacidade de leitos, transferência da ala da maternidade para o Hospital Municipal e custeio das estruturas hospitalares. Serão 30 novos leitos de UTI e 50 de enfermaria para Covid – 19.

Nova UTI no Norte Pioneiro

A Secretaria de Estado da Saúde liberou o funcionamento da UTI do Hospital Regional do Norte Pioneiro, em Santo Antônio da Platina. A unidade possui dez leitos, além de dez leitos para cuidados intermediários e nove leitos de enfermaria. Neste momento, a UTI será exclusiva para atendimento a pacientes com a Covid-19. A estrutura permanecerá ativa após a pandemia, recebendo pacientes de acordo com o perfil assistencial do hospital, que é atenção materno-infantil e trauma.

Transporte dos testes

Em 35 dias, as aeronaves do Governo do Estado transportaram 4.569 amostras de material para testes do novo coronavírus a partir de 18 regionais de Saúde do Paraná, segundo levantamento da Casa Militar, órgão responsável pela operação. As aeronaves contabilizaram 219 horas e 53 minutos de voo em pouco mais de um mês (24 de março a 27 de abril), o que significa mais de nove dias ininterruptos de deslocamento para auxiliar no mapeamento dos casos.

Farmácias

O Programa Farmácia do Paraná conta com uma ferramenta online para agilizar a solicitação por medicamentos padronizados. Por enquanto, a facilidade, que dispensa o comparecimento presencial, acontece para os novos usuários residentes nos municípios de Curitiba, Londrina, Maringá e Cascavel e pode ser feita por meio de pré-cadastro na plataforma PIÁ (Paraná Inteligência Artificial), do Governo do Estado. A proposta é ampliar a solicitação de medicamento via online para todo o sistema da Assistência Farmacêutica do Paraná, que conta hoje com 23 farmácias.

Testes com plasma

O Centro de Hematologia e Hemoterapia do Paraná (Hemepar) iniciou um projeto-piloto que permite a utilização de plasma convalescente como procedimento experimental no combate ao coronavírus. Ele realizará exames em pacientes que estão curados da Covid-19 para confirmação de positividade para anticorpos. Após isso, será feito o agendamento para a coleta de plasma convalescente (plasma hiperimune). Após a recuperação do paciente infectado, os componentes sanguíneos com estes anticorpos podem ser coletados e utilizados em outras pessoas para auxiliar no tratamento da doença.

Apoio aos trabalhadores

O Hospital Oswaldo Cruz, em Curitiba, vai abrigar um projeto-piloto de testagem de profissionais da área da saúde e da segurança pública contra a Covid-19. Também serão envolvidos servidores das estruturas da saúde que trabalham com vigilância, limpeza ou na área administrativa. O programa desenhando pela Secretaria da Saúde permitirá testes em profissionais com quadro gripal ou algum tipo de sintoma da doença. Esse mapeamento ajudará a diagnosticar casos leves e a ampliar o controle sobre a circulação viral. Os exames também indicarão a necessidade de eventuais reposições desses trabalhadores se houver afastamento para cumprir quarentena.

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal