Holandeses no Paraná: conheça as diferenças culturais e a principal receita utilizada no final de ano

Amanda Koiv

holandeses, holanda, cultura, natal, paraná, culinária

O Natal é um feriado nacional, tradicionalmente celebrado no dia 25 de dezembro e que simboliza o nascimento de Jesus Cristo. O Brasil, contudo, é um país de muitas culturas, e no caso dos imigrantes e filhos de imigrantes que vieram da Holanda para cá – grande número residente no Paraná – a comemoração da data possui algumas características particulares.

O início de dezembro marca um período muito especial para a cultura holandesa. A celebração Sinterklaas (São Nicolau), que começa em novembro, dura semanas e termina na Pakjesavond, dia 5 de dezembro, com a noite dos presentes, marca o final de ano holandês. O auge dessa celebração é marcado pela presença do Sint, que, vestido de vermelho, com seu cavalo branco chamado de Amerigo, visita as criancinhas comportadas para deixar um presente.

Para dar início à mais importante tradição holandesa, São Nicolau chega ao país em um navio a vapor vindo da Espanha. A celebração exige uma grande preparação, pois o Sint é recebido no porto e, acompanhado de seus Pieten, vai até uma cidade na Holanda, anteriormente escolhida. O evento é nacional e atrai multidões, sendo televisionado ao vivo.

O Sint é recebido pelo prefeito da cidade e, durante um desfile pelo local, os Zwarte Pieten distribuem biscoitinhos e um mix de docinhos típicos da época para as crianças. Ao longo de todo o período da festividade, os Pieten distribuem todas as noites schoencadeautjes, que são os “presentinhos do sapato” nas casas.

O Natal, como os brasileiros conhecem, também é comemorado na Holanda. Porém, depois de tanta festividade, a data tem uma conotação mais espiritual e familiar.

Marina van der Vinne, coordenadora da Associação Cultural Brasil Holanda, conta que na cultura holandesa, o dia de São Nicolau e o Natal são datas diferentes.

“Na cultura holandesa a troca de presentes no Natal não é algo comum, somente no dia de São Nicolau. No Natal, nos preparamos para o período de advento, que são os quatro domingos que antecedem a data. O mais importante é relembrar os valores relacionados ao período de final de ano: a família, a simplicidade, a gratidão e a fé”, diz.

Para ela, que ainda mantém a tradição oriunda dos pais imigrantes, a tradicional Ceia de Natal não precisa ser realizada especificamente à meia noite. Mas, por estar no Brasil, é comum que se faça um jantar mais especial. “O Peru não é necessariamente o prato principal. Mas hoje os holandeses também reproduzem o estilo americano de comemoração do Natal, então varia de família para família”, explica.

Mas se o Peru não é tão importante para a cultura holandesa nas festividades natalinas, qual seria um alimento típico da cultura? Da Holanda para o Brasil, a resposta são os Pepernoten, biscoitos que não podem faltar para os holandeses nessa época do ano.

PEPERNOTEN: O BISCOITO QUE INUNDA A HOLANDA PRÓXIMO AO NATAL 

Moradora de Arapoti, região em que a cultura holandesa predomina, Femmy de Groot afirma que a comemoração da data se mantém em sua casa até os dias de hoje. “Nós comemoramos sempre o dia 5 de dezembro, aniversário de Sinterklaas. Nesse dia, crianças menores ganham presentes e os adultos preparam os pepernoten em suas próprias casas”, diz.

“Os pepernoten, também conhecidos como kruidnoten, são bolachas pequenas feitas com um pouco de pimenta, servidas no período anterior e durante as celebrações de Sinterklaas na Holanda, assim como em outros lugares onde a festa típica acontece, como nas colônias holandesas”, conta a coordenadora da Associação Cultural Brasil Holanda, Marina van der Vinne. A denominação Pepernoten pode ser traduzida como “noz apimentada”, a palavra ‘peper‘ significa pimenta, porque algumas receitas usam esse ingrediente, mas a maioria usa principalmente especiarias conhecidas como ‘speculaaskruiden’. Os pepernoten têm um tamanho parecido com uma noz (‘noot‘ significa noz em neerlandês).

“Com o passar do tempo, a receita foi ganhando adaptações, de acordo com os gostos e ingredientes utilizados por cada família”, comenta Cleonir Vitorio Ongaratto, coordenador de negócios do moinho da Herança Holandesa que tem uma receita tradicional do pepernoten, para quem quiser experimentar fazer em casa.

Ingredientes:

  • 2 xícaras de farinha de trigo Herança Holandesa
  • 1 colher de chá de fermento em pó
  • 2 colheres de chá de canela em pó
  • 1 colher de chá de cravo em pó
  • 1/2 colher de chá de gengibre em pó
  • 1 colher de pimenta branca
  • 2 colheres de sopa de manteiga
  • 1 xícara de açúcar mascavo
  • 50 gramas de schenkstroop- pode ser substituído por melado
  • 1 colher de chá de sal

Modo de preparo:

Misture a farinha, o fermento e as especiarias numa tigela. Em uma panela, derreta a manteiga com o açúcar mascavo, o melado e o sal, e mexa até que a manteiga esteja derretida e bem incorporada.

Junte a mistura de farinha com a manteiga derretida e mexa bem até formar uma massa macia. Embale a massa em filme plástico e deixe na geladeira por 2 horas.

Pré-aqueça o forno em 180 °C. Faça rolos com a massa de 1,5 cm de espessura e fatie, produzindo os mini cookies.

Distribua-os numa forma forrada com papel manteiga e leve ao forno por aproximadamente 15 minutos, posicionando a forma no meio do forno. Tire do forno e deixe-os esfriar sobre uma grade.

SOBRE A ASSOCIAÇÃO CULTURAL BRASIL HOLANDA

A Associação Cultural Brasil-Holanda (ACBH) é uma organização formada por holandeses e descendentes de holandeses no Brasil, oriundos de diversas colônias. Visa preservar o patrimônio histórico artístico e cultural holandês e brasileiro para a posteridade. Também quer incentivar, desenvolver e divulgar as várias formas de expressão cultural.

A coordenadora Marina afirma que a ACBH é uma forma de integração dos neerlando-brasileiros com o país de origem. “A principal atividade tem sido uma revista em língua holandesa, mas que também já possui artigos em português, que visa a comunicação entre as colônias, trazendo informações sobre os acontecimentos cotidianos dentro e fora do Brasil”.

Além disso, a ACBH também possui o programa Global Integration, que promove maior integração da comunidade, intercâmbio para jovens e visando proporcionar um olhar amplo sobre as duas culturas.

Para mais informações, acesse o site da Associação Cultural Brasil Holanda

*** Amanda Koiv é estagiária de Jornalismo e escreve sob a supervisão da Jornalista Martha Feldens 

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="732582" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]