“Manobras e artimanhas”, afirmam procuradores sobre retirada de delações de Moro

Jordana Martinez

Deltan Dallagnol - força-tarefa da Lava Jato - STF - CNMP

Procuradores da Lava Jato questionam a decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) de remeter para a Justiça de São Paulo trechos da delação da Odebrecht que citam o ex-presidente Lula.

“O STF não pode permitir que manobras e artimanhas se sobreponham a maioria e à própria história e tradição do tribunal”, afirmou o procurador Carlos Fernando dos Santos Lima pelas redes sociais.

Nesta quarta-feira (26), a força-tarefa da Lava Jato enviou um ofício para o juiz Sergio Moro defendendo a competência da 13ª Vara Federal para o julgamento dos processos do petista.

“Deve-se observar que a referida decisão não tem por objeto a modificação de competência para o julgamento da ação penal…  mas sim o mero encaminhamento de termos de colaboração”, afirmou o coordenador da Lava Jato, Deltan Dallagnol.

Para Dallagnol é ” ininteligível a remessa dos depoimentos em questão para outras jurisdições.”

Segundo os procuradores do MP, a decisão do Supremo gerou um “lamentável tumulto processual”, já o STF não poderia determinar a competência sobre os processos.

“Nesse contexto, cabe ao juízo desta causa decidir, no momento próprio, à luz de todos os elementos de prova encartados aos autos, a respeito dessa questão.”

Previous ArticleNext Article
Profissional multimídia com passagens pela Tv Band Curitiba, RPC, Rede Massa, RicTv, rádio CBNCuritiba e BandNewsCuritiba. Hoje é editora-chefe do Paraná Portal.
[post_explorer post_id="519778" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]