OMS corrige avaliação e aumenta classificação de risco internacional do coronavírus

Redação

oms, organização mundial da saúde, risco internacional, coronavírus, coronavirus, wuhan, china, pandemia, epidemia, risco global - Curitiba - Sesa - suspeita - internados

SAdeA OMS (Organização Mundial da Saúde) elevou a classificação de risco internacional do coronavírus de “moderado” para “elevado“. O novo status foi publicado nesta segunda-feira (27) pela entidade, que diz ter corrigido um erro de avaliação. A mutação foi identificada pela primeira vez em dezembro na província de Wuhan, na China.

Até agora, conforme as autoridades da China, 81 pessoas morreram em decorrência das complicações do vírus, a maioria em Wuhan. De acordo com o boletim, uma morte foi registrada na capital, Pequim. Além disso, foram confirmadas ao menos 2,7 mil infecções pelo coronavírus.

De acordo com o relatório desta segunda-feira (27) da OMS, a avaliação de risco é “muito alto” para a China. Em nível regional e mundial, a Organização Mundial da Saúde aponta que o risco é “alto“.

Conforme a OMS, o coronavírus ainda não representa um emergência de saúde global. Apesar disso, merece atenção. A entidade só aponta risco global em casos que demandam reação de todos os países.

Por exemplo, a epidemia do zika vírus, em 2016, e o avanço do ebola a partir de 2014, sobretudo na África Oriental. Além disso, a gripe suína H1N1 também motivou um alerta global em 2009.

O QUE É CORONAVÍRUS E QUAIS OS RISCOS PARA A SAÚDE? 

A infecção causada pelo coronavírus está com centenas de casos confirmados no mundo, principalmente na China. Os registros começaram em dezembro de 2019, mas agora a doença atinge quatro continentes. Países como Estados Unidos, Canadá, Austrália, Coreia do Sul, Tailândia, Japão e Vitnã são países que sofrem com o coronavírus.

No Brasil, o Ministério da Saúde colocou o país em alerta para o risco de transmissão do coronavírus, mesmo sem nenhum caso suspeito. Inclusive, o Paraná já adotou medidas de prevenção.

O vírus pode ser transmitido, em humanos, por gotículas respiratórias – tosses e espirros – e objetos contaminados. O vírus ainda pode se disseminar pelo ar, afetando pessoas com imunidade debilitada. Conforme a OMS, ainda não há medicação para o coronavírus.

Além disso, o coronavírus tem período de incubação entre dois e sete dias, podendo chegar a 14 em alguns casos. Os sintomas parecem uma gripe, ou resfriado comum, como tosse, febre e dificuldade para respirar. Nos casos mais graves, de acordo com a OMS, a doença pode evoluir para pneumonia ou síndrome respiratória aguda grave.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="680924" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]