Temporal no Paraná: mais de 38 mil casas seguem sem luz no estado

Rafael Nascimento

tempestade paraná alerta paraná santa catarina rio grande do sul inmet

Cerca de 38 mil casas seguem sem luz no Paraná por conta do temporal que atingiu diversas regiões do estado entre domingo (27) e a madrugada desta segunda-feira (28).

De acordo com a última atualização da Copel, as regiões do estado mais afetadas com a falta de energia foram a Leste (Curitiba e região metropolitana), com 32% do total dos desligamentos, e a Centro-Sul, que acumulou 30% do total dos desligamentos. Já na madrugada de hoje, a ventania também causou estragos no Oeste (28% do total de desligamentos).

Ainda conforme a Copel, 515 equipes de eletricistas estão nas ruas em todo o estado, buscando restabelecer a energia elétrica nos locais ainda sem luz.

Curitiba é a cidade com maior número de unidades consumidoras sem luz no momento (3 mil). Além da Capital, Lindoeste (2 mil), Ponta Grossa (1,5 mil) e Maringá (1,4 mil) também concentram boa parte das equipes da Copel.

25 CIDADES FORAM ATINGIDAS, DIZ DEFESA CIVIL

A Defesa Civil do Paraná atualizou no fim da tarde desta segunda-feira (28) as informações sobre estragos causados pela forte chuva e rajadas de vento que atingiram o estado. Ao todo, 25 cidades paranaenses foram atingidas, com 2.834 pessoas afetadas.

Entre as pessoas afetadas, 27 permanecem desalojadas.

General Carneiro, no Sul do estado, teve 300 casas danificadas e 1.200 pessoas afetadas.

Em todo o estado, 631 residências tiveram algum tipo de avaria por conta do temporal.

Em Curitiba, a Defesa Civil Municipal registrou 154 solicitações para retirada de árvores e galhos grandes que caíram, além de 209 registros de entrega de lona para locais que sofreram com destelhamentos.

ALERTA DA MAU TEMPO PERMANECE PARA CURITIBA E REGIÃO

A Defesa Civil Estadual alerta para a previsão de chuvas fortes, entre 30 e 60 mm/h ou 50 e 100 mm/dia, a partir desta segunda-feira (28) para a região de Curitiba e Litoral.

A chuva pode vir acompanhada de ventos intensos (entre 60-100 km/h), e queda de granizo. Há risco de corte de energia elétrica, estragos em plantações, queda de árvores e de alagamentos.

Previous ArticleNext Article