Bretas apoia nome de Moro para compor STF e diz que Lava Jato continua caminhando

Alexandra Fernandes

O juiz federal Marcelo Bretas, responsável pelos processos da Operação Lava Jato no Rio de Janeiro, afirmou que a indicação do Ministro da Justiça Sérgio Moro a uma vaga no Supremo Tribunal Federal (STF) é positiva. Segundo o magistrado, o ex-colega Moro é a pessoa certa, no lugar certo para assumir o cargo. “Vejo como algo bastante positivo a indicação de Moro ao STF. Ele tem muita experiência, sabe exatamente o que está fazendo. É a praia dele é a pessoa certa no lugar certo. É um excelente ministro com competência para o STF.” disse.

O anúncio da indicação de Sérgio Moro foi feita no último domingo (12), pelo presidente Jair Bolsonaro, em entrevista ao programa do jornalista Milton Neves na rádio Bandeirantes. Bolsonaro disse que assumiu um compromisso com o ministro da Justiça e Segurança Pública, já que o magistrado abriu mão de 22 anos de carreira para assumir a vaga no governo. A expectativa é de que a posição venha no próximo ano, quando o ministro Celso de Mello deve se aposentar.

Questionado sobre assumir a o Ministério, caso Moro deixe a pasta, Marcelo Bretas disse que prefere não fazer um “prognóstico sobre o futuro”. O juiz federal esteve em Curitiba nesta segunda-feira (13) para palestrar no Congresso de Macrocriminalidade e Combate a Corrupção.

Operação Lava Jato continua caminhando

Bretas disse que não teve a impressão de que a Operação Lava Jato foi enfraquecida com a ida de Sérgio Moro ao governo. Segundo o juiz, existem outros magistrados dispostos a dar continuidade ao trabalho “Não existem só um juiz no Paraná, no Rio na Lava Jato. Existem juízes que estão fazendo um trabalho e que continuam dando andamento aos processo.”

Sobre um possível protagonismo na Operação, ele disse que não é hora de centralizar o trabalho em ninguém e sim estimular outros membros do judiciário para ajudarem na força-tarefa.

Em relação ao ganhos da Operação, o juiz afirmou que o principal é a Isonomia. “Sem dúvidas o principal ganho da Lava Jato é o tratamento igual entre ricos e pobres. A gente identifica alguns casos em que justiça não age desta forma, mas na operação estamos em um processo processo para esta isonomia e o saldo tem sido positivo.”.

Prisão do ex-presidente Temer

Sobre a decisão que resultou na prisão do ex-presidente Michel Temer, Bretas afirmou que procurou manter um padrão de tratamento dado ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso na sede da Polícia Federal (PF) em Curitiba. Segundo o juiz, foi por este motivo que determinou que Temer permanecesse na Superintendência da PF em São Paulo.

Nesta segunda (13), a juíza federal juíza federal Caroline Figueiredo,  determinou que Temer fosse transferido a São Paulo. Bretas preferiu não comentar a decisão já que está de férias.

Previous ArticleNext Article