Preço da gasolina segue alto após greve dos caminhoneiros

Mariana Ohde e Neto del Hoyo - Metro Maringá

A alta da gasolina é de 7,44% em relação à semana anterior à greve.
Gasolina, etanol

Dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) mostram que os preços dos combustíveis ainda não voltaram aos patamares anteriores à greve dos caminhoneiros, no final de maio.

O preço médio da gasolina recuou 0,24%, para R$ 4,603, na semana passada – de 3 a 9 de junho – sobre a semana anterior. Porém, na comparação com a semana anterior à paralisação da categoria – de 13 a 19 de maio – o preço média da gasolina subiu 7,44%.

No caso da gasolina, o maior preço médio estadual foi encontrado no Acre, de R$ 5,038. O Amapá tem o menor valor, de R$ 4,19.

No Paraná, o preço médio da gasolina está em R$ 4,485 por litro, em 339 postos pesquisados. O preço médio em Maringá é o mais alto entre os 29 municípios pesquisados no estado.


Segundo a pesquisa, o litro do combustível para o consumidor varia de R$ 4,59 a R$ 4,79 na cidade. O valor médio foi calculado em R$ 4,754 entre os 16 postos pesquisados entre os dias 3 e 9 deste mês.

A média maringaense fica bem à frente da capital Curitiba (R$ 4,380) e de Londrina (R$ 4,526), por exemplo. Logo atrás de Maringá aparece Marechal Cândido Rondon, onde o consumidor pode encontrar a gasolina por R$ 4,707 na média das bombas.

Etanol

Já o etanol teve alta de 0,98%, para R$ 2,982, em relação à ultima semana, e de 7,11% em relação à semana anterior à greve. Porém, na maioria das cidades, ainda é mais econômico optar pelo biocombustível.

O Mato Grosso tem o menor preço médio do etanol, de R$ 2,71 o litro, e o maior valor médio foi registrado no Rio Grande do Sul, de R$ 4,043 o litro.

Segundo especialistas, o etanol é vantajoso quando custa até 70% do valor da gasolina, mas esse número varia de veículo para veículo. No Paraná, o valor do etanol gira em torno de 68% do valor da gasolina, valor muito próximo à paridade – como é chamada a marca dos 70%. Na média brasileira, o percentual é de 64,78% entre os preços médios do etanol e da gasolina.

“É a conta dos 70%. O etanol rende 70% da gasolina, então, se a média do litro cobrado pela gasolina é de R$ 4, 790, o etanol saindo por até R$ 3,330, compensa. Portanto, se a média é de R$ 3,211 na cidade [de Maringá], para quem tem carro flex, compensa colocar etanol”, exemplifica o economista Antonio Zotarelli.

Post anteriorPróximo post
Comentários de Facebook