Curitiba está entre as cidades que mais geraram empregos em 2018

Mariana Ohde

Já o desempenho de Curitiba em junho foi destaque entre as cidades brasileiras pesquisadas.
Carteira de Trabalho

Curitiba foi uma das cidades mais geraram empregos com carteira assinada neste ano. De janeiro a junho, a capital registrou saldo positivo de 6.489 vagas – diferença entre contratações e desligamentos.

Entre as cidades pesquisadas, Curitiba ocupa o quinto lugar no ranking, perdendo apena para São Paulo (38.453), Belo Horizonte (18.718), Brasília (12.632) e Santa Cruz do Sul (6.595). Entre as capitais, ela é a quarta que mais gerou empregos no ano. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho.

Na capital, o setor de serviços foi destaque no período, com saldo positivo de 6.782 vagas. Já o comércio foi o setor que mais perdeu trabalhadores, com saldo negativo de 1.044.

No Paraná, as cidades que mais geraram emprego, no ano, depois de Curitiba foram São José dos Pinhais (2.031), Cascavel (1.860), Maringá (1.837), Paranaguá (1.194) e Foz do Iguaçu (1.119). Na outra ponta, as cidades que mais perderam empregos foram Londrina (-1.031), Guaratuba (-869), Nova América da Carolina (-693), Umuarama (-661) e Pato Branco (-604).

O saldo positivo em Curitiba, até junho, vem na contramão dos anos anteriores. A capital teve saldos negativos em 2017 (-7.835), 2016 (-21.035) e 2015 (-31.872).

Já nos dados referentes ao mês de junho apenas, a capital teve uma queda significativa no número de postos de trabalho, com saldo negativo de 2.225 vagas. Apenas São Paulo (-5.620) e Rio de Janeiro (-3.584) perderam mais vagas. Belo Horizonte (811), Goiânia (740) e Brasília (484) foram as cidades que mais geraram vagas no mês passado.

Paraná perde vagas em junho

O Paraná é o quarto estado que mais gerou empregos em 2018, de janeiro a junho, com saldo positivo de 32.030 vagas neste ano. Porém, nos dados referentes ao mês de junho, o estado saltou para o lado oposto do ranking: foi o que mais perdeu postos de trabalho.

No mês passado, foram geradas 82.293 vagas e fechadas 88.902 – um saldo negativo de 6.609, segundo o Caged. Do total de postos de trabalho fechados no estado, 2.710 foram na capital Curitiba e 3.899 no interior. O comércio (-2.264), indústria da transformação (-2.209) e construção civil (-1.047) foram os setores que mais perderam trabalhadores.

Entre os estados que mais encerraram postos de trabalho, o Paraná fica à frente do Rio Grande do Sul (-6.521), São Paulo (-4450), Santa Catarina (-4.020) e Rio de Janeiro (-2.519). Na outra ponta, os estados que mais geraram empregos em junho foram Minas Gerais (12.143), Mato Grosso (5.412), Maranhão (2.807), Goiás (2.173) e Pará (824).

Já de janeiro a junho de 2018, o estado que mais gerou empregos foi São Paulo (141.247), seguido por Minas Gerais (91506), Santa Catarina (33500), Paraná (32030) e Goiás (31725). Os estados que mais perderam vagas foram Alagoas (-24.266), Pernambuco (-20.295), Rio de Janeiro (-7.002), Paraíba (-6.163) e Rio Grande do Norte (-4.234).

Evolução

Com o saldo positivo de 32.030 vagas neste ano, o Paraná está uma posição acima no ranking de maiores geradores de emprego em relação ao ano passado. Em 2017, o estado foi o quinto maior saldo positivo de vagas, com 12.872, atrás de Santa Catarina (29.165), Goiás (26.342), Minas Gerais (23.477) e Mato Grosso (15.995).

O resultado positivo de 2017 veio após dois anos de queda, em 2016 (saldo negativo de 60.921 vagas no ano) e 2015 (saldo negativo de 76.162).

No Paraná, o setor de serviços é o que mais possui trabalhadores com carteira assinada hoje (1.023.397), seguido da indústria da transformação (643.813) e comércio (635.897).

Previous ArticleNext Article
Repórter no Paraná Portal
[post_explorer post_id="539792" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]