Educador financeiro dá dicas para terminar o ano sem dívida e começar 2018 com dinheiro no bolso

Francielly Azevedo


Da BandNews FM Curitiba

Para 2018 o desejo da maioria das famílias é começar o ano sem dívidas. Mas será que faltando apenas cinco dias para o Reveillón ainda dá tempo de se organizar e terminar 2017 com as contas no azul? Um especialista em educação financeira afirma que sim e que esse é um bom momento para mudar de hábitos e planejar os gastos do próximo ano. Para ajudar no planejamento financeiro, o educador e assessor de investimentos, Márcio Araújo, diz que o primeiro passo é colocar tudo na ponta do lápis e verificar quais gastos podem ser cortados. Ele explica que é fundamental listar tudo que é consumido para saber para onde o dinheiro está indo.

“Independente qual seja a ferramenta, que anote num papel de pão, em um caderno, na agenda usada, no papel, no próprio Excel ou no próprio aplicativo, mas anote. Eu tenho que começar pelo diagnóstico para então identificar para onde está indo o meu dinheiro. As vezes as pessoas e preocupam com coisas de valores mais elevados, mas quando nós pegamos pequenos gastos que temos no dia a dia e começamos a somar isso percebemos que pequenas mudanças podem fazer total diferença no orçamento familiar”, explica.

Depois de colocar as contas no papel é a hora de verificar qual é o perfil da situação financeira. O consumidor pode ser classificado como investidor, equilibrado ou endividado. De acordo com Márcio Araújo, ao conhecer o seu perfil, o consumidor vai poder ter uma ideia mais clara dos riscos que estará correndo ao contrair uma dívida. E para quem entrou no cheque especial, a orientação é trocar o débito por um menos oneroso.

“Ele tem que buscar alternativas baratas para parcelar isso e tentar dar uma folga no orçamento dele. Hoje nós temos as cooperativas de crédito que tem taxas diferenciadas do que os bancos vem atuando. Então busque alternativas para suas dívidas com parcelamentos para que essas dívidas caibam no seu bolso e assim diminua a margem muito pequena do que se ganha e do que está gastando. Então se você está no vermelho e utilizando muito cheque especial faça um parcelamento das dívidas e procure uma instituição que tenha uma taxa de juros melhor”, ressalta.

Outra dica importante é incluir toda a família no planejamento financeiro, inclusive as crianças. O assessor de investimentos explica ainda que é fundamental que a família defina, de forma conjunta, quais são os gastos prioritários a curto, médio e longo prazos.

“A ferramenta que pode mudar o abito das pessoas é ter sonhos, ter sonhos pode mudar a rotina financeira das pessoas. Como comprar um carro, apartamento ou viagem. Então você ter sonhos e prazos pode trazer uma vida financeira equilibrada”, conta.

O especialista ainda diz que é importante pagar dívidas com juros altos antes dos pequenos valores, mas em primeiro lugar está sempre os serviços essenciais como água, luz e gás. Em seguida, imóveis financiados e que podem ser tomados em caso de acúmulo da dívida.

Previous ArticleNext Article
Avatar
Jornalista, formada pela Universidade Tuiuti do Paraná. Tem passagens pela TV Educativa, TV Assembleia, TV Transamérica, CATVE, Rádio Iguassu e Folha de Londrina. Atualmente trabalha no Paraná Portal e na Rádio CBN.