Agronegócio, serviços e indústria são as áreas mais promissoras de Maringá até 2047

Fernando Garcel


Rosangela Gris, Metro Jornal Maringá

Indústria limpa e de alta tecnologia, serviços de excelência e agronegócio são as potenciais áreas econômicas para o futuro de Maringá, segundo o relatório socioeconômico elaborado pela PwC e apresentado na Associação Comercial e Empresarial de Maringá (Acim), nesta quinta-feira (06). O escritório de consultoria internacional foi contratado com recursos da iniciativa privada para realizar a primeira etapa do projeto “Masterplan Metrópole Maringá 2047”.

“Maringá se mostrou preparada para dar saltos em algumas áreas que já é referência, como tecnologia de informação e agronegócio, e outras a serem exploradas, como aeronáutica e biotecnologia”, explicou o sócio da PwC Brasil e responsável pelo estudo, Jerri Ribeiro.

Os setores que prometem atrair investimentos e conduzir a cidade ao crescimento econômico sustentável e garantir qualidade de vida aos moradores de Maringá e cidades conurbadas, foram definidos com base em mais de três mil indicadores econômicos e sociais, entrevistas com empresários e lideranças da cidade e análise de dados da cidade. Durante os dez meses de trabalho também foram considerados as cinco mega tendências mundiais.

Em relação ao estágio de desenvolvimento, Maringá foi classificada no terceiro nível, numa escala até 14. “O nível onde Maringá está chama-se ‘centro urbano consolidado’. Trata-se de um estágio de desenvolvimento comparado ao de algumas capitais brasileiras e obtido por causa da qualidade de vida e do conceito de sustentabilidade aplicado no dia-a-dia”, conclui Jerri.

Capturar

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="389885" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]