Agropecuária é o segundo setor que mais contratou em abril

A agropecuária foi o segundo setor que mais contratou em abril, com 14,648 mil postos de trabalho. As contratações super..

Mariana Ohde - 17 de maio de 2017, 07:24

Foto: Gilson Abreu/FIEP
Foto: Gilson Abreu/FIEP

A agropecuária foi o segundo setor que mais contratou em abril, com 14,648 mil postos de trabalho. As contratações superaram as demissões em quase 60 mil vagas. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e foram divulgados nesta terça-feira (16).

Ao todo, em abril, 59,8 mil vagas formais foram criadas no Brasil – o primeiro resultado positivo para abril desde 2014. Segundo o Ministério do Trabalho, no mês passado ocorreram 1,14 milhão de admissões e 1,08 milhão de desligamentos. Em abril do ano passado, o mercado de trabalho formal tinha registrado a perda de 62.844 postos de trabalho.

“Estamos tendo a alegria de celebrar números positivos. Esperamos que esses números positivos se estabeleçam”, comemorou o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira.

O setor de serviços foi o que registrou melhor desempenho, com um saldo de 24,7 mil contratações. A indústria de transformação teve saldo de 13, 7 mil e o comércio de 5,3 mil.

Paraná

O Paraná registrou resultado positivo no emprego formal, com um saldo de 6.742 empregos em abril. Com isso, o estado fechou o quadrimestre com saldo positivo de 22.803 vagas. As contratações do setor de serviços e da indústria da transformação puxaram o resultado no estado. No mesmo período do ano passado, o Paraná registrava um saldo negativo de 5.994 vagas.

Em abril, a indústria de transformação foi o setor que mais criou oportunidades de empregos formais no estado, com um saldo final positivo de 2.867 postos, seguido por serviços (2.485) e comércio (1.487). Dois setores tiveram saldo negativo no mês: a construção civil, que perdeu 209 postos, e a agropecuária, com 89 postos a menos.

As atividades de fabricação de açúcar (saldo de 2.765 postos), abate de aves, suínos e outros pequenos animais (2.111 postos) e confecção de peças do vestuário (1.325 postos), foram as que mais contrataram neste ano.

Veja o levantamento completo.

Cidades

Especificamente em abril, Curitiba foi a cidade do estado com maior saldo, abrindo 616 vagas, à frente de Maringá (450) e Umuarama (394).

Na capital, as vagas foram ofertadas em maior número na construção civil (317 postos), seguido de serviços (275 postos). Entre as atividades, destaque para restaurantes (300 postos), montagem de instalações industriais e de estruturas metálicas (197) e construção de rodovias e ferrovias (182).

No acumulado dos primeiros quatro meses do ano, a Região Metropolitana de Curitiba ficou em primeiro lugar no ranking de emprego formal no país com saldo de 2.707 vagas no quadrimestre.